BAND

setembro 13, 2008

Rede Bandeirantes

 

A Rede Bandeirantes de Televisão (também conhecida como TV Bandeirantes ou simplesmente Band) é uma rede emissora de televisão brasileira pertencente ao Grupo Bandeirantes de Comunicação. Entrou no ar no dia 13 de maio de 1967. Seu fundador foi João Saad, que contou com a ajuda do sogro, o político Adhemar de Barros, antigo proprietário da Rádio Bandeirantes. Atualmente, a emissora é presidida por Johnny Saad, filho de João Saad.

 História

 1967-1970

A Band (Inicialmente TV Bandeirantes) entrou no ar pela primeira vez no dia 13 de maio de 1967, com um discurso de seu fundador, João Saad, seguido por um show dos cantores Agostinho dos Santos e Cláudia, que abriram as transmissões. Estavam presentes o presidente da República (na época era Costa e Silva), o governador de São Paulo Abreu Sodré, o prefeito Faria Lima, ministros e secretários de Estado. Na frente da sede da emissora foram montados um parque infantil e um circo gratuito para famílias de menor poder aquisitivo. Durante dois dias houve gincanas e brincadeiras, com distribuição de brindes comemorativos.

Em 1967, dias depois da inauguração, entrava no ar a primeira novela da então TV Bandeirantes, “Os Miseráveis“.

Já em 1968 era uma exibido na emissora, às 15 horas o programa “Xênia e Você“, que permaneceu na emissora durante anos. Também naquele ano a TV Bandeirantes exibia às 18:30h o “Sítio do Pica-pau Amarelo” de produção própria, e às 19h30min “As Aventuras de Rin-tin-tin“.

Em 1969 a emissora sofreu um incêndio devastador, que destruiu suas instalações. Grande parte dos seus arquivos se perderam. O slogan da época era: “A Bandeirantes não vai Parar“. O primeiro jornalístico da Band foi o “Titulares da Notícia“, um correspondente do tradicional programa da Rádio Bandeirantes.

A emissora teve três grandes temporadas de produção/exibição de teledramaturgia. A primeira foi nos primeiros anos de operação, de 1967 a 1970. Nesse período foram produzidas histórias como “Os Miseráveis“, “Era Preciso Voltar” e “O Bolha“.

Em 1970 a Bandeirantes transmitiu a Copa do Mundo do México, a primeira Copa transmitida ao vivo no Brasil.

 1971-1980

Torre da Band RS, antiga TV Difusora, comprada em 1980 pelo Grupo Bandeirantes.

Torre da Band RS, antiga TV Difusora, comprada em 1980 pelo Grupo Bandeirantes.

A primeira transmissão em cores da emissora foi em 1972 com a exibição da “Festa da Uva“, o que foi um marco na televisão brasileira[carece de fontes?], feita pela TV Difusora, de Porto Alegre-RS, na época afiliada à REI – Rede de Emissoras Independentes, ligada à Rede Record, que foi comprada em 30 de junho de 1980 pelo Grupo Bandeirantes, transformando-a na Rede Bandeirantes Porto Alegre.

Em 1975, a Bandeirantes começa a se tornar uma rede nacional de televisão com a compra da TV Vila Rica que se transformou na TV Bandeirantes de Minas Gerais. No dia 7 de Julho de 1977 às 7 da noite, a TV Bandeirantes chega ao Rio de Janeiro no canal 7.

A apresentadora Xenia Bier apresentou, por anos, um programa de conselhos nas tardes da emissora.

A segunda temporada produção/exibição de teledramaturgia começou em 1979 e foi mais ou menos até a metade da década de 80. Foi a época de “Cara a Cara“, “Cavalo Amarelo“, “O Meu Pé de Laranja Lima“, “Os Imigrantes“, “Ninho da Serpente“, “Dona Santa“, “Casal 80” e outros títulos.

Entre 1979 a 1980, a recente rede começa dar espaço aos exilados políticos e grande cobertura na anistia de 1979, com programas como o Canal Livre, apresentado por Roberto D´Ávila e dirigido por Fernando Barbosa Lima.

 1981-1990

Mantendo a expansão e qualificação de sinal da Rede, entrava no ar mais uma emissora própria a TV Bandeirantes Bahia no dia 11 de abril de 1981 no canal 7. Até então a TV Bandeirantes já tinha mais de 24 emissoras espalhadas pelo Brasil.

Comemorando o fato de se tornar a primeira emissora a transmitir via satélite, a TV Bandeirantes mudou o logo e a programação visual, preparados por Cyro Del Nero, que vinha da recém extinta Rede Tupi.

Em agosto de 1982, entra no ar a novela Renúncia, baseada na obra de Chico Xavier com Fúlvio Stefanini e Geórgia Gomide, mas fica no ar apenas 12 dias. Com o total fracasso no Ibope, a emissora decide tirar a novela do ar, aproveitando a entrada do horário eleitoral gratuito, que durava mais de uma hora.

Em 1983, a Bandeirantes aproveitou que a Rede Globo fora proibida de estrear o texto planejado para a novela das oito, tendo que reprisar a novela Casarao, enquanto Gilberto Braga rapidamente preparava a novela Louco Amor, com Bruna Lombardi e Fábio Jr., para tentar abocanhar telespectadores com a novela Sabor de Mel, de Jorge Andrade, protagonizada por Sandra Bréa e Raul Cortez. A novela tinha um diferencial: um concurso para quem desvendasse um enigma proposto nos primeiros capítulos. Mas o autor da novela se desentendeu com o diretor Roberto Talma e se demitiu, nunca revelando a resposta ao enigma.

Flávio Cavalcanti se tornou o maior investimento da emissora, no início dos anos 1980, com seu programa diário Boa Noite Brasil. Um dos momentos mais marcantes do programa aconteceu quando a cantora Angela Ro Ro deixou os estúdios no meio de uma entrevista ao vivo, por não aceitar as perguntas de Cidinha Campos sobre sua homossexualidade e suposta agressividade.

Quando Flávio Cavalcanti largou a emissora pelo SBT de Sílvio Santos, as noites foram entregues, entre outros, a Jota Silvestre, com o Show Sem Limite e o Essas Mulheres Maravilhosas. Antes de mudar para a Globo, logo depois de ter saído da Tupi, o Chacrinha tinha seus programas Buzinha do Chacrinha e Discoteca do Chacrinha nas noites de terça-feira e nas tardes de sábado, respectivamente.

Estrearam programas como o TV Criança, apresentado pelo desenhista Daniel Azulay e sua Turma do Lambe-Lambe, desejando muito algodão doce para a garotada.

O Jornal Bandeirantes era apresentado por Ferreira Martins e Joelmir Beting, com comentários de Newton Carlos sobre assuntos internacionais. Ronaldo Rosas apresentava o jornal do Rio de Janeiro. Na Década de 80 a TV Bandeirantes colocava no ar o “Canal Livre” cuja história se confundiu com a abertura política que acontecia naquela época, inicialmente apresentado por Roberto D´Ávila. A emissora tinha a missão nesse programa de entrevistas mostrar um jornalismo mais crítico.

Por um curto período, Walter Clark, que criara o conceito de grade de programação no Brasil, veio tentar repetir seu sucesso na Bandeirantes. Criou programas como o noticiário O Repórter, apresentado na hora do almoço, por César Filho e Angela Rodrigues Alves. Nos finais da noite, foi destaque o programa “Etc.“, de Ziraldo (que nele fez uma entrevista histórica com Dom Hélder Camara). Uma tentativa inovadora foi o programa Variety 90 minutos, entre 20h00min e 21h30min, apresentado por Paulo César Peréio e sua então esposa, a atriz Cissa Guimarães.

Em 1983 entrava no ar o “Show do Esporte” que foi considerado o programa de televisão mais longo do mundo, criado, apresentado e coordenado pelo locutor Luciano do Valle depois de sua passagem pela Rede Record, além de Elia Jr., Juarez Soares, Elys Marina, Sílvia Vinhas, José Luiz Datena e outros. Com o sucesso do programa, a emissora se tornou o “canal do esporte” nos anos 90.[carece de fontes?]

Os finais de noite passaram a ser preenchidos pelo “Programa Ferreira Neto“, um bate-papo com políticos. Ele sempre iniciava o programa conversando, por um telefone vermelho, com um fictício amigo chamado Léo, usando esse artifício para comentar os fatos do dia.

Em 1984 a TV Bandeirantes começava a se destacar na cobertura das Diretas Já, movimento que pedia a volta das eleições diretas no país.

A emissora transmite pela primeira vez as Olimpíadas de 1984, sempre com coberturas que fizeram história.

As manhãs da emissora eram preenchidas pelos programas Ela, apresentado por Baby Garroux e, mais tarde, pela suposta Garota de Ipanema Helo Pinheiro. Mais tarde, o Ela foi substituído pelo programa Dia Dia, apresentado por Tavinho Ceschi, contando também com o psicoterapeuta Angelo Gaiarsa.

Em 1986, a Bandeirantes inaugura o “Jornal da Noite“, onde estreou Lilian Witte Fibe.

Em 23 de janeiro de 1987, entra no ar a TV Bandeirantes Brasília.

Depois de sair do “TV Mulher“, da Rede Globo, e de uma temporada como correspondente para o Fantástico, dos Estados Unidos, Marília Gabriela ganhou seu programa noturno, o “Marília Gabi Gabriela“, nas quartas-feiras, com música-tema de Rita Lee. Mais tarde, Gabi ficou apenas com o programa dominical “Cara a Cara“, com entrevistas.

A emissora transmite pela segunda vez as Olimpíadas de 1988.

A Rede Bandeirantes promoveu o primeiro debate eleitoral do país já em 1982, mantendo a tradição de promover o primeiro debate eleitoral a cada dois anos, até 2000. Promoveu o primeiro debate entre candidatos ao cargo de Presidente, durante as eleições de 1989.

1991-2000

A partir da década de 1990, a Bandeirantes passou a adotar uma programação mais voltada ao mundo esportivo, criando a “Faixa Nobre do Esporte” (todos os dias às 20:30), além da “Faixa Especial do Esporte“, com duração de alguns minutos, exibido nos fins de tarde da programação. Aos domingos, dedicava-os inteiramente às transmissões esportivas, com o “Show do Esporte“.

O Jornal Bandeirantes passa a ser apresentado por Marília Gabriela e, mais tarde, por Chico Pinheiro. Diferentemente dos jornalísticos da época, o telejornal terminava cada dia sob o som de uma música pop atual. O cenário era uma parede preta com uma enorme bola vermelha no meio, como a que fazia parte do logo da emissora na época.

A emissora transmite pela terceira vez as Olimpíadas de 1992.

A rede mostrou desde o começo a CPI do Caso Collor no Brasil, em 1992. Foi também a primeira a transmitir a NBA e a Fórmula Indy. O que valeu ser chamada de “Bandeirantes, o canal do Esporte“, com a exibição do “Esporte Total“.

A Rede Bandeirantes é a única rede de televisão do mundo a possuir um apelido carinhoso, sendo conhecida por “Band”, utilizado desde o início da década. Esse curioso fato foi idéia do jornalista José Luiz Datena, quando integrava a equipe de esportes da emissora.

A emissora transmite pela quarta vez as Olimpíadas de 1996. Neste ano, foi duramente criticada por conta das mudanças de horário e descumprimento de exibição de filmes e programas, em hora programada.

A terceira temporada produção/exibição de teledramaturgia foi na segunda metade dos anos 90, época de títulos como “A Idade da Loba“, “O Campeão” e “Serras Azuis“, além de uma nova versão de “Meu Pé de Laranja Lima“.

Em 1999, a rede se torna o “canal dos animes” de desenho de animação, até então era da recente extinta Rede Manchete, ao exibir o desenho “Dragon Ball Z” às 15h00min, a partir de setembro, com episódios duplos com duração de 1 hora. No início de 2000, o anime passa ser exibido às 11h25min até 11h55min.

De 1999 a 2002, a rede começa perder as primeiras afiliadas da década de 1980 para a Rede Record e o SBT, mas ganha quase à mesma quantidade das recentes afiliadas, para absolver aquelas que foram perdidas.

No início de 2000, a rede ganha das rivais e fica em primeiro lugar de audiência ao transmitir a final do Campeonato Mundial de Clubes da FIFA, que marcou 53 pontos em uma pesquisa do IBOPE, sendo até hoje a maior audiência da história da rede.

No dia 18 de setembro de 2000, a rede começa a exibir com duração de 2 horas o programa “Band Kids“, entre 15h00min e 17h00min, com animes Japoneses e desenhos dos Estados Unidos.

A emissora transmite pela quinta vez as Olimpíadas em 2000.

Anos 2000

A partir de 4 de junho de 2001, houve diversas renovações na programação da rede.

Entre 2001 a 2005, foi ao ar o programa vespertino “Melhor da Tarde“, entre as 13h e as 15h (apenas para a cidade de São Paulo) e das 15h às 16h30min para a rede nacional. Às 16h30min, era a vez do “Hora da Verdade”, com Márcia Goldschmidt. No mesmo dia foi a estréia do feminino matinal “Dia Dia“, apresentado por Olga Bongiovanni.

Em 25 de setembro de 2001, depois de permanecer por 15 anos, Amaury Jr. anuncia em nota à imprensa a sua saída da Band. Ele afirma que sua saída é devido a divergências com a emissora. No mês seguinte, é contratado pela Rede Record para apresentar um programa também chamado “Programa Armaury Jr.“, que entra no ar em novembro, mas sai da rede em outubro de 2002, depois que a emissora ter descumprindo o contrato. Ele é contratado pela RedeTV!, que permanece desde novembro de 2002.

O programa “Boa Noite Brasil“, ficou no ar entre 2003 e 2006, sob apresentação de Gilberto Barros. O mesmo apresentou entre 2002 e 2005 o programa “Sabadaço“, com seis horas de duração, das 12h00min às 18h00min.

Em janeiro de 2002, entrava no ar o programa “Descontrole“, substituindo o programa “Super Positivo“, sob apresentação de Marcos Mion e um grupo de pessoas. O programa é duramente criticado por ser qualidade muito inferior ao sucesso de “Piores Clipes do Mundo“, um programa da MTV Brasil, também com a apresentação de Marcos Mion. O programa muda de fomato e até o nome para “Sobcontrole“, permanecendo no ar até maio de 2003. O atual horário do “Sobcontrole” é alugado pelo programa religioso “Show da Fé“, apresentado pelo pastor R. R. Soares.

A emissora transmite pela sexta vez as Olimpíadas em 2004.

Em 2004, período em que Marlene Mattos foi a diretora artística da emissora, novas mudanças. O programa Dia Dia ganhou Viviane Romanelli como apresentadora. Preta Gil comandou por cerca de 3 meses[carece de fontes?] o Caixa Preta. Kelly Key estreou como apresentadora no bloco de desenhos dos Cavaleiros do Zodíaco. Sem sucesso em suas apostas, Marlene Mattos deixa a Band 10 meses depois de assinar contrato.

Em agosto de 2005, ocorre uma nova alteração na grade de programação. São veiculadas novas vinhetas, com o slogan Prazer em Ver. Estréia, no mesmo mês, sob o comando de Claudete Troiano, o programa “Pra Valer“, que duraria até maio de 2007. Em novembro de 2005, estréia o “Programa Raul Gil“.

Em 2006, a emissora passou a exibir apenas partidas de futebol europeu: os campeonatos Espanhol, Italiano e a Liga dos Campeões da UEFA. Em agosto, a emissora perde o Campeonato Espanhol para a SKY e a Liga dos Campeões para a Rede Record, ficando apenas com o Italiano e o Inglês. Em dezembro do mesmo ano, a Band se torna a nova parceira da Rede Globo na exibição do Campeonato Paulista, da Copa do Brasil, do Campeonato Brasileiro e da Copa Sul-americana, até então era dividido com a Rede Record.

Desde 2007 a emissora cria atrações visando um público mais jovem, lançando programas mais modernos e atuais como “Band Esporte Clube“, “Jogo Aberto” e “Atualíssima“, além de novelas como “Dance Dance Dance e Água na Boca“.

A Band comemorou 40 anos de existência dia 13 de maio de 2007, mas o Grupo Bandeirantes prefere comemorar os 70 anos do grupo, a partir da criação da Rádio Bandeirantes.

Em julho de 2007, transmite os Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro.

Em 2008, mais programas para o público jovem surgem. São eles: “CQC“, “É o Amor” e “Quem Pode Mais?“.

No dia 3 de abril de 2008, a Band compra os direitos de transmissão do Festival Folclórico de Parintins, no Amazonas, que até então não havia sido transmitido por nenhuma emissora nacional. Os direitos pertenciam, até então, à TV A Crítica, antiga afiliada do SBT e atual afiliada da Rede Record no estado do Amazonas. Os direitos de transmissão durarão até 2012 e que contará com a colaboração de sua afiliada no estado, a TV Rio Negro.

No mesmo ano, a emissora transmite pela sétima vez as Olimpíadas de 2008, sendo a melhor cobertura esportiva e dando grandiosos índices de audiência, segundo o IBOPE

Rede Bandeirantes de Televisão
Grupo Bandeirantes de Comunicação
Gênero/Tipo Rede de televisão comercial
País Brasil Brasil
Fundação 13 de Maio de 1967 (41 anos)
Extinção  
Fundador João Jorge Saad
Pertence a Grupo Bandeirantes de Comunicação
Proprietário  
Presidente Johnny Saad
Cidade de origem São Paulo, SP
Sede São Paulo, SP
Estúdios São Paulo, SP
Rua dos Radiantes, 13, Morumbi
Slogan Prazer em ver
Canal {{{canal}}}
Satélite Brasilsat B3
Formato de vídeo 480i (SDTV)
1080i (HDTV)
Principais telespectadores  
Afiliações  
Prefixo  
Cobertura  
Significado da sigla {{{significado letras}}}
Emissoras próprias TV Bandeirantes SP
TV Bandeirantes RJ
TV Bandeirantes RS
TV Bandeirantes BA
TV Bandeirantes DF
TV Bandeirantes PR
Lista de emissoras próprias
Emissoras afiliadas TVBV
TV Tarobá
TV Capixaba
TV Goiânia
RBA TV
TV Rio Negro
TV Clube
Lista de afiliadas
Cobertura internacional  Estados Unidos Argentina
Nomes anteriores  
Nomes posteriores  
Página oficial band.com.br
Disponibilidade aberta e gratuita
analógico 13 VHF (São Paulo)
7 VHF (Rio de Janeiro)
10 VHF (Porto Alegre)
digital 23 UHF (São Paulo)
35 UHF (Rio de Janeiro)
10 UHF (Porto Alegre)
Disponibilidade por satélite
SKY Brasil Canal 15
Telefônica TV Digital Canal 226

SBT

setembro 13, 2008

O Sistema Brasileiro de Televisão (SBT) é uma rede de televisão brasileira formada por emissoras pertencentes ao empresário e apresentador Silvio Santos. Antes era chamada de TV Studios (TVS) e em 18 de agosto de 1981 a TVS era uma das afiliadas do Sistema Brasileiro de Televisão, e a marca SBT só foi usada anos depois.

[editar] História

[editar] Nasce a TVS

Desde os anos 60 produzindo seu programa dominical de forma independente, rapidamente Silvio Santos montou uma estrutura de produção capaz de suprir uma emissora de televisão inteira, motivo pelo qual passou a perseguir obstinadamente seu sonho de uma emissora própria.

Em maio de 1976 finalmente Sílvio Santos inaugurou a TV Studios (TVS) do Rio de Janeiro. Ele recebeu a concessão do canal 11 carioca graças à influência de alguns de seus companheiros junto ao governo federal da época, em especial o humorista Manuel da Nóbrega. A principal atração da nova emissora era o Programa Silvio Santos, exibido aos domingos aproximadamente das 11h às 20h (a extensão real do programa variou muito no período) simultaneamente com a TV Tupi.

[editar] O início da rede

Em 1980, com o fechamento da Rede Tupi, Silvio consegue a concessão de quatro canais, dos quais três pertenciam à Tupi: o canal 4 de São Paulo (ex-TV Tupi), o canal 5 de Porto Alegre (ex-TV Piratini) e o canal 5 de Belém (ex-TV Marajoara).

O canal 9 do Rio de Janeiro, que fazia parte do pacote com os quatro canais, pertencia à TV Continental e entrou no ar em 1982 como filial carioca da TV Record (em 1987 o canal foi renomeado sucessivamente TV Copacabana e TV Corcovado). Reunindo os antigos canais da Tupi e o canal 11 do Rio, Silvio forma em 19 de agosto de 1981 o Sistema Brasileiro de Televisão (SBT). A marca SBT, porém, só seria amplamente divulgada anos mais tarde. A praça de São Paulo passa a ser a sede e a fonte geradora da programação da nova rede.

[editar] “Primeiros Passos”

O SBT dos primeiros tempos aproveitou muitos artistas e programas da Tupi, tanto para cumprir acordos trabalhistas com os antigos funcionários da rede falida quanto pela necessidade de iniciar suas operações já com um conjunto de programas estruturado.

Com atrações popularescas, especialmente os programas de auditório comandados por Gugu Liberato, Raul Gil, Moacyr Franco, J. Silvestre, Flávio Cavalcanti e pelo próprio Silvio Santos, o SBT cai no gosto do telespectador de renda mais baixa. Na linha infantil, o grande sucesso é o programa do palhaço Bozo. Nessa época começou a exibição de telenovelas, tanto sucessos mexicanos (começando com Os Ricos Também Choram em 1982) quanto produções próprias que seguiam uma linha semelhante. Em 1986, o SBT cobriu a sua primeira Copa do Mundo. Em 1988 cobriu os Jogos Olímipicos.

Ao longo da década de 1980 a emissora consolidou sua posição de segundo lugar na preferência do telespectador nacional (exceto no Rio de Janeiro, onde a posição era ocupada pela Rede Manchete). Animado com os resultados, o SBT lança o slogan “Líder absoluto da vice-liderança”. Em 1984 estreiam as séries mexicanas Chaves e Chapolin, que transformaram-se nos maiores sucessos de audiência da história do SBT. Em 1985 vai ao ar a minissérie australiana Pássaros Feridos, que consegue a liderança de audiência em seu horário, graças à estratégia do SBT de começar a exibição da minissérie quando a novela da Rede Globo Roque Santeiro terminava, o que era ostensivamente anunciado por Sílvio Santos em seu programa. A minissérie foi reapresentada várias outras vezes (para os críticos, teria se tornado um “curinga” de programação na mão de Silvio Santos), mas sem o sucesso inicial.

[editar] Grandes reformas

Em 1987 houve uma reformulação na emissora e o nome TVS gradualmente deixa de ser utilizado, dando lugar à marca SBT. A emissora, que desde sua criação alcançava o segundo lugar em audiência, detecta a necessidade de se alavancar economicamente. Tinha boa audiência mas poucos anunciantes, desinteressados com a programação do canal, voltada para as classes mais baixas. A emissora passou a sofisticar sua programação e rejeitar publicamente o título de “brega“.

Em 1988 Silvio intensificou a reformulação e passou a ser mais agressivo na rivalidade com a Rede Globo, contratando artistas, lançando novos programas e criando horários próprios para grandes filmes. Silvio Santos contrata Jô Soares, comediante da Globo, e o lança em dois programas: o humorístico Veja o Gordo (que seguia o formato do Viva o Gordo) e o talk-show Jô Soares Onze e Meia. A possibilidade de realizar um programa de entrevistas seduziu Jô a trocar de emissora.

Ainda no projeto de requalificação o SBT contrata Boris Casoy e lança um jornal opinativo, o TJ Brasil, disseminando o conceito de “âncora” no telejornalismo brasileiro. Silvio Santos traz ainda Carlos Alberto de Nóbrega, que depois de breve período na Rede Bandeirantes comandando um programa nos moldes da Praça da Alegria, o Praça Brasil, relança a atração no SBT com o nome A Praça É Nossa.

Em agosto de 1987, Gugu Liberato assinou contrato com a Globo. Silvio Santos, preocupado com seu futuro como apresentador, no sábado de carnaval de 1988, cobriu a oferta da concorrente e renovou o contrato do animador do Viva a Noite com o SBT. Com essa manobra, na prática, Silvio Santos “coroou” Gugu como seu sucessor no programa de domingo (o Programa Silvio Santos seguia como carro-chefe da emissora e vitrine número 1 dos produtos do Grupo Silvio Santos, notadamente o Baú da Felicidade), o que veio a se confirmar gradualmente nos anos seguintes.

 Anos 90

Nos anos 90 a emissora teve um crescimento marcante, chegando a lançar o slogan “SBT, na nossa frente só você”. O SBT transferiu suas operações, que até então se dividiam entre o auditório no bairro do Carandiru e os estúdios da Vila Guilherme, para o CDT Anhangüera, também conhecido como “Complexo Anhangüera” dada sua localização na Rodovia Anhangüera, que custou em torno de 120 milhões de dólares.

 19901993

Em 1990 cobriu a Copa do Mundo de 1990 na Itália. Foi nessa Copa do Mundo que a emissora desenvolveu seu mascote na transmissão. Se tratava do “Amarelinho”. Ele vibrava quando o Brasil, marcava os gols. Em 1991 o SBT lança o telejornal “Aqui Agora“. Serginho Groismann é trazido da TV Cultura, na qual comandava o Matéria Prima, e cria o Programa Livreesse ano também marca a estréia de Eliana na emissora comandando os infantis ´´Festolândia e ´´Sessão Desenho´´ . Em 1992, o SBT transmitiu as Olimpíadas de Barcelona. No mesmo ano exibiu ao vivo o impeachment do então ex-presidente Fernando Collor. O Domingo Legal, apresentado por Gugu Liberato, planejado em 1992, foi levado ao ar pela primeira vez em 17 de janeiro de 1993 com um formato baseado no bem-sucedido Viva a Noite dos anos 80, ganhou cada vez mais espaço como atração do Programa Silvio Santos na medida em que o SBT precisava combater o Domingão do Faustão da Rede Globo. Apesar das freqüentes acusações de sensacionalismo a ambos os programas, a guerra dos auditórios fez bem ao Domingo Legal, que encerrou a década com picos de 40 pontos de audiência[1]. Em 1993 exibe as Eliminatórias da Copa do Mundo de 1994. No mesmo ano Angélica assina com a emissora após uma grande transação , onde ela deixa a Manchete e recusa proposta da Globo o , passando a comandar os programas ´´Passa ou Repassa´´, ´´Tv Animal´´ e ´´Casa da Angélica´´, se tornando a maior audiência da emissora. Eliana estréia o ´´Bom dia e Cia´´ programa infantil com uma linguagem um pouco mais educativa.

 19941996

Em 1994 o SBT cobriu o tetracampeonato mundial da seleção brasileira que ocorreu nos Estados Unidos.Naquele no Mara Maravilha deixa a emissora segundo rumores d época com ciúme do crecsimento de Angélica que reinava nas tardes da emissora, com isso Eliana assumiria toda a manhã do SBT. Em 1996, no mesmo país, a emissora cobriu as Olimpiadas de Atlanta. e Angélica se transfere para a Rede Globo, Eliana se torna a principal estrela infantil da emissora. Na produção de telenovelas, a partir de 1994 o SBT investiu em remakes de antigas produções de outras emissoras, como Éramos Seis, As Pupilas do Senhor Reitor, Sangue do Meu Sangue e Os Ossos do Barão, além de textos próprios como em Razão de Viver e Fascinação. Também aderiu ao esquema de co-produção em Dona Anja, Colégio Brasil e Antônio Alves, Taxista e produziu novelas adaptadas de textos mexicanas como O Direito de Nascer e Pérola Negra. As produções originais mexicanas chegaram ao seu auge na época. Maria Mercedes, Marimar, Maria do Bairro, A Usurpadora e Carrossel foram grandes sucessos. A protagonista de Carrossel, em visita ao Brasil, foi recebida em Brasília, onde, por convite do então presidente Fernando Collor, subiu a rampa do Palácio do Planalto e foi aclamada por uma multidão. A emissora tambem cobriu as Copas do Brasil de 1995 , 1996 e 1997. A emissora em 1995 começou a cobrir a Fórmula Indy, que depois da cisão entre a Champ Car e IRL, foi obrigada a chamar a categoria (O nome na época era CART) de Fórmula Mundial.

19971999

Em 1997, Chiquititas (20h, que foi transferido para 19h) e Disney Cruj (18h) davam algumas vezes a liderança ao SBT. A cantora mexicana Thalía veio diversas vezes ao Brasil, participando em diversos programas do SBT. O dia 19 de Outubro pode ser considerado o marco inicial da virada da emissora, quando, pela primeira vez o programa Domingo Legal vence o Domingão do Faustão, sendo ambos exibidos no mesmo horário. No final do mesmo ano, o SBT lança o programa Fantasia, apresentado inicialmente por Jackeline Petkovic, Adriana Colin, Débora Rodrigues e Valéria Balbi, e os sitcoms Os Simpsons e Uma Família da Pesada são estreados depois das 10 da noite, pouco a pouco o SBT fica frente a frente da Rede Globo. Uma Família da Pesada tinha uma boa audiência, sendo exibido até 2000. Por certo período a partir de 1999, a sitcom Ô Coitado também teve presença importante até 2000, retirado do ar por falta de audiência. Em uma negociação milionária, o apresentador Carlos Massa, o Ratinho trocou a Record pelo SBT em 1998, mantendo o estilo mundo cão que o tornara célebre. O Programa do Ratinho se tornou uma espécie de fenômeno pop do fim dos anos 90. O SBT cobriu a sua última Copa do Mundo realizado na França. em 98, Eliana deixa a emissora e Sílvio Santos inventa uma nova apresentadora infantil: Jaqueline Petkovik no comando do ´´Bom dia e Cia´´ Em 1999, o Programa do Ratinho concorreu de forma bem sucedida com a novela das oito da Rede Globo, Suave Veneno, de Aguinaldo Silva, sendo assim a novela possui o título de pior audiência do horário das oito. Ainda nesse ano, no final do mês de dezembro, Jô Soares apresentava pela última vez o talk-show, Jô Soares Onze e Meia.

 Anos 2000

A partir de abril, o SBT exibe o grande pacote de filmes inéditos nas sessões Cine Espetacular (terça-feira) e Tela de Sucessos (sexta-feira) e de grandes produções, graças as parcerias com a Disney, Warner Brothers, MGM e Televisa. O mesmo voltou a ocorrer em 2001 e 2002. Nesses dois anos, os filmes inéditos fizeram que o SBT ter auge de audiência nesses horários. Neste ano a emissora recebeu a superstar internacional Thalía. A partir de 2003 teve início a reprise dos filmes exibidos nos anos anteriores, embora exibisse alguns inéditos em 2003 e 2004.

O declínio de audiência ocorre a partir de setembro de 2000, quando as produções Chiquititas e Disney Club encerram suas gravações, sendo encerradas as exibições só em janeiro de 2001. Neste ano o programa Chapolin sai do ar pela primeira vez.

2001

No dia 19 de janeiro, o SBT encerra a exibição de Disney Club e Chiquititas, programas que vinham sendo exibidos desde 1997. Ambos foram substituídos no horário pela reprise da novela Éramos Seis e outros programas em 22 de janeiro. A novela Éramos Seis havia sido exibida originalmente em 1994. Depois dela, várias novelas mexicanas e séries americanas ocuparam este horário. No dia 14 de abril, em seu quarto ano de exibição, o Disney Club voltou em novo horário e nova denominação (Disney CRUJ). Em originais e reprises, o programa continuou sendo exibido até 12 de outubro de 2003.

Durante o mês de setembro, a emissora foi criticada pela opinião pública por ter sido a única entre as principais redes de TV do país (Globo, Record, SBT, Band, RedeTV!, TVE Brasil e CNT) a não transmitir ao vivo os ataques terroristas de 11 de setembro contra as cidades de Nova York e Washington, episódio de repecussão internacional. Até hoje Sílvio Santos não explica por que ignorou esse evento de maior repecussão histórica desde a queda do Muro de Berlim (1989), o fim dos regimes comunistas e da União Soviética (1991). A emissora preferiu exibir o clássico desenho americano Pica-Pau e a exibição de sua programação rotineira. A emissora também recebeu críticas pela cobertura tímida que deu à guerra EUA X Afeganistão governado pelo Taliban (chegou a ignorar notícia da guerra por alguns dias em novembro).

Em outubro de 2001 estréia o reality-show Casa dos Artistas, com apresentação de Silvio Santos e grande polêmica pela suspeita de plágio de um modelo existente da Endemol (só a Rede Globo, que poucos meses depois exibiria o concorrente Big Brother Brasil, tinha contrato com a Endemol). A Justiça do Estado de São Paulo deu ganho de causa ao SBT. Contudo, a Rede Globo recorreu. Nas noites de domingo de novembro e dezembro, enquanto era exibida a Casa dos Artistas, o SBT conquista pela primeira vez o primeiro lugar em audiência naquele horário. O sucesso do programa culminou na final, quando enfim o Fantástico perdeu a liderança no Ibope que mantinha há 28 anos[2].

Também é exibida na sessão Tarde de Amor a novela Camila, que alcançou 21 pontos no Ibope, sendo a novela com maior audiência da sessão[3]. No mesmo ano foram exibidos a novela Rosalinda e o programa Popstars, que selecionou cinco garotas para o grupo Rouge. Mesmo com a saída de Luciana em 2004, permaneceram em voga na mídia. No ano seguinte foi a vez do grupo de cinco garotos do Br’oz. Lançaram CD em novembro, anunciando seu fim em maio de 2005, devido a falta de entrosamento e pouca aceitação do CD. Mesmo assim, os dois grupos obtiveram popularidade no mercado fonográfico.

 2002

Entre janeiro e março de 2002 foi exibido Casa dos Artistas 2, rivalizando com a estréia do BBB e também com o Fantástico. Na Casa dos Artistas 3, em 2003, com um diferente formato, cada participante trazia um fã, o que mais tarde levantou questionamentos de fraude. A exibição de Casa dos Artistas 4 (2004) teve baixa aceitação.

Entre 2000 a 2002 o Domingo Legal se consolida na liderança da audiência, ganhando do Domingão do Faustão de 21 a 19 pontos no Ibope. Porém, no mesmo ano o programa inicia uma queda na audiência culminaria na liderança do Domingão do Faustão a longo prazo[4]. O SBT também comprou o Clube do Chaves, que saiu do ar no mesmo ano por falta de audiência. As causas são atribuídas aos fatos de Quico e Seu Madruga não fazerem parte do elenco; e dublador original do Chaves (Marcelo Gastaldi) havia falecido em 1995. Houve a contratação no mesmo ano de 2002, das jornalistas Sônia Abrão e Marília Gabriela, que voltam ao SBT, depois de ficarem 2 anos na RedeTV!.

 2003

No início de 2003 Silvio Santos foi alvo de polêmica por suas declarações à revista de celebridades Contigo!. Enquanto morava nos Estados Unidos, Silvio declarou estar doente e com pouco tempo de vida restante, motivo pelo qual teria vendido o SBT à Televisa e escalado Boni (executivo de TV e ex-diretor da Globo) como chefe de operações da emissora. A repercussão da entrevista foi grande. A Televisa, a Rede Globo e Boni desmentiram as afirmações. Mais tarde Silvio declarou a falsidade da entrevista, dos rumores de doença e de tudo que havia sido divulgado por ele nesse ínterim “como brincadeira à jornalista” que o entrevistou. Por causa disso, Silvio Santos sofreu vários processos pelos meios de comunicações que cobriam o fato.

No mesmo ano, o SBT perde o sitcom Os Simpsons e a Rede Globo volta com a série. No mês de março, a emissora foi duramente criticada por não ter dado destaque em seus telejornais á Guerra no Iraque.

Em agosto de 2003, SBT pela primeira vez, tira o programa Chaves do ar. Devido à grande pressão popular a favor da atração, duas semanas mais tarde o programa volta com horário semanal; em setembro, volta para a faixa vespertina junto com Chapolin. Menos de um mês depois Chapolin sairia novamente do ar.

Em 7 de setembro, o programa Domingo Legal foi palco de um grande escândalo do jornalismo nacional ao exibir uma entrevista com dois supostos integrantes do Primeiro Comando da Capital. As pistas de que a entrevista teria sido uma fraude só foram reveladas mais de uma semana depois da exibição, com a identificação dos responsáveis pelo jornalista Marcelo Rezende no programa Repórter Cidadão da Rede TV!. O programa de Gugu Liberato ficou fora do ar por uma semana. De volta à programação, o Domingo Legal nunca mais reconquistaria a liderança na audiência absoluta, o que beneficiou o Domingão do Faustão e o então estreante Pânico na TV.

A partir de outubro, a novela Canavial de Paixões chegou a obter boa audiência, mesmo com a forte concorrência da novela Celebridade e chegando a liderar em momentos de pico.

 2004

O SBT surpreendeu seus telespectadores em janeiro ao anunciar que exibiria filmes inéditos; no entanto, esses filmes só começaram a ser exibidos em agosto de 2005, depois de inúmeros processos e críticas. Até então só foram exibidas reprises de filmes que estrearam entre 2000 e 2003. Silvio Santos não ofereceu esclarecimentos sobre a demora.

Nesse mesmo ano, o SBT volta a exibir as novelas: Marimar, Rosalinda e Maria do Bairro, todas da cantora mexicana Thalía, ganhando a liderança, e deixando a novela Terra Nostra em segundo lugar.

Outro fato que surpreendeu os telespectadores foi a exibição de infomerciais pelo satélite Brasilsat B1 a partir de agosto, de segunda a sexta no início da manhã das 07h00 às 08h00 e no horário do almoço das 12h45 às 14h15, nos sábados no horário do almoço das 12h45 às 14h15, e aos domingos pela manhã das 09h às 11h00; esses horários são reservados à programação local nas afiliadas e emissoras próprias do SBT, então os telespectadores que tinham antenas parabólicas passaram a receber esses infomerciais. Em 2008, o horário dos informerciais das 07h00 às 08h00 foi retirado, dando lugar à programação do SBT de São Paulo.

Adriane Galisteu estréia no SBT no comando do Charme que tinha formato de game-show interativo nas tardes da emissora, a jornalista Regina Volpato também estréia nas tardes da emissora.

2005

O SBT exibe a reprise da novela Xica da Silva, produzida e exibida entre 1996 e 1997 pela extinta Rede Manchete. Originalmente exibida entre 22h10 e 23h, no SBT a novela foi exibida entre 21h20 e 22h10. A classificação de “14 anos” foi mantida. A novela obtém 15 pontos de média. Ana Paula Padrão é contratada e estréia em agosto na emissora no SBT Brasil, numa ação para conter a audiência de Essas Mulheres, a telenovela que até então a Rede Record exibia.

Começa a ser exibida a trama mexicana Rebelde, que lança a banda RBD e desperta furor em crianças e adolescentes no Brasil. A novela se torna um fenômeno, chegando à 20 pontos de pico no Ibope[5].

Em novembro de 2005, Chapolin retorna ao ar. Com um horário semanal, episódios inéditos e “perdidos” passam a ser exibidos.

2006

O SBT chega o ano em crise resultante do avanço da Rede Record. Hebe passou a perder sistematicamente do Repórter Record às segundas-feiras. Prova de Amor tirou audiência do telejornal de Ana Paula Padrão, e A Escrava Isaura derrotou Mariana da Noite. A reação do SBT foi o sucesso de Rebelde, pois a novela Cristal, encarada como a salvação da emissora, não conquistou grande popularidade com apenas 7 pontos, muito baixo para a emissora [6].

Carlos Nascimento foi contratado em fevereiro para apresentar o Jornal do SBT. Substituía Hermano Henning, que assumiu o Jornal do SBT – Edição Manhã. Em novembro a jornalista Ana Paula Padrão deixou o SBT Brasil para apresentar o SBT Realidade.

Ao completar 25 anos no ar em 18 de agosto de 2006, o SBT emprega mais de 2200 funcionários, tem 105 emissoras afiliadas e entra diariamente 176 milhões de brasileiros nos lares de todo o Brasil.[7] Mas a emissora amarga perda de afiliadas em todo o Brasil desde 2003. Em 2003 tinha 120 afiliadas.[8] Em 2004, a emissora tinha 117 afiliadas, caiu para 111 em 2005.[9]

O único horário em que o SBT mantem destaque até o final de 2006 era o da manhã. O programa Bom Dia & Cia atingia consideráveis médias. À tarde, as reprises dos seriados Um Maluco no Pedaço e Eu, a patroa e as crianças chegam a liderar em momentos de picos. Ainda assim, a Record conseguiu desbancar o antes imbatível Chaves ao exibir o tradicional desenho Pica-Pau, mas com a estréia do Chaves em desenho animado, o SBT voltou à vice-liderança.

Algumas alterações de programação deram bons resultados no horário nobre. A Praça é Nossa, mudado para as quintas-feiras, salvou a audiência do SBT naquela noite, sempre marcando médias acima de 10 pontos[10]. O SBT também lançou o Ataque de Risos, um pacote de séries americanas humorísticas. Inicialmente o programa obteve bons resultados no horário nobre[11].

Carlos Nascimento reformulou o telejornal para apresentá-lo na companhia de Juliana Alvim, ex-repórter do SBT em Brasília. Silvio Santos rapidamente retira Juliana Alvim da bancada e a devolve à reportagem. O SBT Brasil reformulado, num horário ingrato para a audiência, obteve baixos índices, e ainda foi alvo de críticas por ser encerrado antes do horário para que seu encerramento coincidisse com o da telenovela Páginas da Vida (uma prática habitual nos programas do SBT desde os anos 80). Além do SBT Brasil, o Jornal do SBT e o Jornal do SBT Manhã também passaram por reformulações, ganhando novos cenários com monitores de plasma e um GC parecido para os três.

Em outubro o SBT lança o programa Bailando por um sonho com sucesso. Em novembro, Silvio tira Adriane Galisteu do comando do Charme, substituindo-a por Celso Portiolli. Apesar da troca, o nome de Galisteu continua sendo exibido na abertura. Portiolli apresenta competições e promove encontros, conforme o projeto original do Charme, ao qual Galisteu não tinha se adaptado. O programa sofreu muitas alterações de formato e horário: chegou a ser exibido nas noites de quarta-feira, mas a experiência não durou muito. Adriane Galisteu continua gravando o programa, mesmo afastada da atração ao vivo. Charme também passou a ser exibido aos sábados sob o nome Namoro na TV, o mesmo de uma antiga atração do Programa Silvio Santos.

A maior audiência do SBT no ano foi registrada com filme Fúria em Duas Rodas, exibido em 5 de novembro.

A novela Vidas Opostas, da Record, venceu o SBT disparadamente no estado de São Paulo e no Rio de Janeiro. No restante do Brasil o SBT se manteve vice-líder absoluto segundo o Telereport Ibope. Enquanto em São Paulo obtia 12 pontos tinha média de 8 no resto do Brasil, dando então uma média de 10 pontos a emissora, o mesmo que o SBT alcançava.[12]

No dia 4 de dezembro, em mais uma reforma-surpresa, Silvio Santos extingue a assessoria de imprensa da emissora, deixando jornais e revistas sem a grade de programação do canal. Isto, combinado com as muitas alterações de última hora determinadas pelo “patrão”, deixou atordoados os próprios apresentadores do SBT[13].

 2007

Após passar a empatar com a Rede Record na vice-liderança em São Paulo no mês de fevereiro, o SBT lançou o slogan “A Concorrência vai Tremer!”, e apostou em novas temporadas para sucessos da emissora e novos programas para combater a Record. A “Arrancada da Vitória” começou num final de semana, com a volta de Silvio Santos à programação de domingo. Quatro programas com a apresentação do “Homem do Baú” foram veiculados: Topa ou Não Topa, 1º Campeonato Brasileiro de Dança, Tentação e Rei Majestade. Mais tarde também reestreou o Qual É a Música?. Apesar de manter o formato tradicional, o programa teve momentos de brilho quando Silvio recebeu a turma do Pânico na TV.

No dia 5 de março estreou o novo SBT Brasil. A grande surpresa do telejornal foi Cynthia Benini, que já havia sido criticada pelo seu trabalho no antigo Jornal do SBT e no SBT Notícias Breves, ambos ao lado de Analice Nicolau, sua colega de confinamento na Casa dos Artistas. Para apresentar o telejornal, Cynthia foi tirada às pressas da produção do programa 1º Campeonato Brasileiro de Dança, no qual fazia entrevistas com os concorrentes após suas apresentações.

Além destas atrações, o SBT estreou em março a novela Maria Esperança, estrelada por Bárbara Paz, o jornalístico SBT Realidade com Ana Paula Padrão, os programas Você é o Jurado com Carlos Massa, Curtindo com Reais com Celso Portiolli, o novo Viva a Noite com a cantora Gilmelândia, o humorístico Sem Controle, e as novas temporadas de Ídolos e Supernanny, além do desfecho da telenovela A Feia Mais Bela.

O programa Charme vinha sendo comandado por Celso Portiolli desde dezembro de 2006, porém com o retorno de Adriane Galisteu comandando o antigo Charme às segundas-feiras, depois do programa da Hebe, o Charme comandado por Celso Portiolli na semana passou a ser chamado de Namoro na TV, como já era feito no sábado. Algumas semanas depois, o Namoro na TV deixou de ser exibido de segunda à sexta, mantendo-se no sábado com uma longa duração: das 15h15 até as 20h30. O Charme, com Adriane Galisteu, passa por uma grande reformulação: troca de cenário, vinhetas e passa a ser exibido de segunda à sexta, depois do Jornal do SBT – Noite, registrando bons índices de audiência no horário. O Namoro na TV ainda continua usando o antigo estúdio do Charme. O SBT também põe fim nos infantis Sessão Desenho e A Hora Warner para ampliar o Bom Dia & Cia, e estréia uma nova faixa de desenhos aos domingos, o Domingo Animado, que é exibido das 9h00 às 11h00.

Em abril, a exibição da telenovela Destilando Amor é cancelada devido aos baixos índices de audiência: Silvio Santos então promove testes na faixa das 18h, e descobre um novo coringa para o SBT. Depois de tentar exibir os desenhos Liga da Justiça e Os Vegetais, era a vez do sitcom Escolinha do Golias ser testada.

Em maio, numa tentativa de “vitaminar” a audiência da programação vespertina, o SBT amplia a sua faixa de séries no início das tardes: o novo coringa Eu, a Patroa e as Crianças passa a ser exibido mais tarde, para tentar segurar a audiência por mais tempo, e enfrentar Xena da Record. Com esta modificação, Chaves continuou com sua exibição diária nas tardes, e as séries As Visões da Raven e Freddie entraram na grade de programação, mantendo a audiência das outras séries veteranas.

A série Freddie teve todos os seus episódios exibidos pelo SBT, e devido a isso deu lugar a série Elas e Eu. Em junho, as madrugadas da emissora também sofreram modificações: depois do programa Charme eram exibidas 2 sessões de filmes chamadas Fim de Noite, todos os dias, porém as mesmas só foram mantidas no final de semana. Sendo assim, de segunda à sexta, Tele Seriados passou a ter 4 edições: várias séries que já estavam fora do ar há algum tempo ocuparam as madrugadas do SBT, tais como Tal Mãe, Tal Filha, Estética e West Wing. No dia 18 algumas modificações foram feitas, como a substituição do Chaves em Desenho Animado pelo infantil Tom e Jerry: neste mesmo dia, no Jornal do SBT Manhã, Hermano Henning passou a dividir a apresentação com Analice Nicolau, que retornava ao jornal que já havia apresentado anos antes ao lado de Cynthia Benini. No dia 25 re-estreou a novela mexicana A Usurpadora, que fez muito sucesso em outras exibições, substituindo a novela Mundo de Feras. A série Um Maluco no Pedaço saiu do ar.

Em julho, a emissora foi bastante criticada por ser a única entre as quatro grandes emissoras do país a não exibir os Jogos Pan-Americanos de 2007, preferindo continuar com a exibição de sua programação rotineira. Outra crítica foi da cobertura que a emissora deu ao desastre do Vôo TAM 3054 no Aeroporto de Congonhas. Mas apesar disto, o SBT Brasil foi o telejornal que deu uma boa cobertura para o acidente, e chegou a mudar seu slogan. Antes de entrar a vinheta, um dos jornalistas sempre cita: “O SBT Brasil está no ar, com as últimas notícias do dia e as primeiras notícias da noite”. Excepcionalmente nesse dia, o slogan foi: “O SBT Brasil está no ar, com as últimas notícias sobre o acidente em São Paulo, e as principais notícias desse trágico dia”. Nesse período, o jornalista Carlos Nascimento estava de férias da emissora e foi chamado às pressas para poder ancorar o SBT Brasil. Quem o substituía era César Filho, que chegou a gravar as narrações de algumas matérias. Nesse mesmo mês, o SBT começou a exibir o animê Naruto no horário da manhã, conseguindo uma boa audiência, mas no mês seguinte, o animê mudou do horário da manhã para o horário da tarde.

Em agosto, estreou a versão nacional da mexicana Amigas y Rivales, chamada de Amigas e Rivais, substituindo a novela Maria Esperança. Em 20 de agosto, mais de seis anos e meio depois, entrava no ar no mesmo horário, a versão argentina da telenovela Chiquititas. Neste dia foi mais uma mudança na grade noturna, com a volta de Chaves e a estréia de Chiquititas 2000, ambos no horário nobre. Mas apesar de Chaves e Chiquititas 2000 terem se saído bem na audiência, o SBT Brasil marcou apenas 2 pontos no Ibope em seu novo horário, ficando em quinto lugar no ranking, atrás da Record, Band e RedeTV!.[14]

Com a entrada do desenho Os Flintstones e a estréia do humorístico Câmera Café, o SBT Brasil volta ao seu horário habitual das 21:40 e volta a faixa de 6 pontos de média. Ainda no horário nobre, volta a Escolinha do Golias nas quintas, o reality Quem Perde, Ganha passa a ser exibido aos sábados, e logo após entra o humorístico Sem Controle.

Em 1o de setembro de 2007, mais uma afiliada é perdida para a Rede Record de Televisão: a TV A Crítica, de Manaus, que garantia transmissão para 92% dos municípios amazonenses cancela o contrato que possuía com a emissora de Silvio Santos desde a sua fundação em 1981. A TV A Crítica no ano de 2006 fez intensos investimentos nos quais houve melhoria sensível da qualidade de imagem e som da emissora, bem como a construção de uma nova torre de transmissão e reformulação da grade de programação local, o que atraiu a atenção da Rede Record de Televisão. No lugar da TV A Crítica, o SBT fechou contrato com a TV Em Tempo (antiga TV Manaus), que anteriormente retransmitia a Rede Record, porém a qualidade de imagem da nova afiliada é muito precária com constantes quedas do sinal e programação local de péssima qualidade. Além disso, a TV Em Tempo não possui retransmissoras no interior do Amazonas, distribuindo seu sinal somente para a cidade de Manaus e cidades circunvizinhas.

Na noite do dia 17 de setembro, o site oficial do SBT sofre o primeiro ataque de hacker desde a criação em 2004. O atacante se identificou como Lady Lara: apesar de não protestar contra a emissora, atacou a corrupção, fraudes “e toda essa vergonha da qual hoje somos testemunhas”. O conteúdo saiu do ar na manhã do dia seguinte.[15] [16]

Na tarde de 23 de setembro, o SBT transmitiu o famoso reality show Você é mais esperto que um aluno da 5ª série?.

Em 1 de outubro estréia o telejornal SBT Manchetes, comandado por Cynthia Benini e Carlos Nascimento. A atração acaba por fracassar, marcando apenas 2 pontos e ficando em 4º lugar. No dia 29, volta a programação do SBT o Fantasia, sob o comando de Helen Ganzarolli, Luiz Bacci e Caco Rodrigues. Porém, Luiz Bacci apresentou somente a re-estréia, sendo rifado do programa logo no dia seguinte.

No dia 5 de novembro, o SBT Manchetes é cancelado e retorna ao horário nobre o mexicano Chaves, que mesmo sem divulgação, eleva os índices da emissora para 6 pontos. E no dia 12, a telenovela Maria do Bairro também volta a programação pela quarta vez, no lugar de A Usurpadora.

Do dia 30 de dezembro, o SBT volta a exibir o seriado The OC, subistituindo Lições de Vida (que não teve muito sucesso), na sua 4ª Temporada, sendo a última exibição inedita da serie na emissora.

Em dezembro de 2007, a emissora perde a posição de vice-líder em audiência para a Rede Record de Televisão pela primeira vez na média nacional das 24 horas, conforme dados do Ibope.

2008

Em 5 de janeiro a emissora estreou às 16h, o WWE – Luta Livre Na TV. No dia 20 de janeiro estreou o Nada Além da Verdade, onde as celebridades são desafiadas a responder às perguntas sobre sua própria vida. Cada questão respondida com sinceridade vale prêmios em dinheiro, com Silvio Santos no comando. No dia 21 de janeiro, às 20h15 estreou a novela argentina Lalola, mas devido a baixa audiência e a instabilidade da programação, é exibida atualmente às 21hs.

Em 1º de fevereiro, o SBT perdeu a afiliada Rede SC (que era composta por 4 emissoras). Porém ganhou o SBT Santa Catarina, que entrou no lugar da RedeTV Sul!.

Em 3 de março, o SBT reestreou o telejornal policial Aqui Agora e a reprise de “O Privilégio de Amar“, que entrou no lugar de “Maria do Bairro”. No dia 9 de março, a emissora começa a exibir em rede nacional o programa Vrum, que antes era exibido somente para o estado de Minas Gerais pela TV Alterosa, sob apresentação da Monica Veloso, que ficou conhecida no ano passado ao denunciar o caso Renan Calheiros. O Aqui Agora ficou poucos meses no ar.

Em 10 de março, a emissora inverte os horários dos programas Charme e Fantasia: o Fantasia passa para as 14h15 (antigo horário do Charme), e o Charme passa para 1h da manhã (antigo horário do Fantasia). Na tarde do dia 17 de Março, o programa Fantasia tem sua última exibição e o programa Charme tem sua última exibição na madrugada de 18 de Março.

No dia 9 de Abril, a emissora estréia o programa Novosídolos (nos mesmos moldes de Ídolos, já que perdeu os direitos de exibição de Ídolos para Rede Record), o que gerou polêmica por ter nomes semelhantes. Por determinação da Justiça, teve que mudar de nome, sendo o novo nome “Astros“, nome este escolhido por votação popular.

No dia 18 de Abril, estreou o Quem Não Viu, Vai Ver, com a apresentação de Helen Ganzarolli e Caco Rodrigues (que estavam fora do ar desde quando o Fantasia saiu do ar) no lugar da WWE – Luta Livre Na TV. O programa traz reprises de programas do SBT, dentre eles Topa ou não Topa e Vinte e Um. Em agosto o programa sairia do ar e o casal passou a apresentar a sessão se seriados de comédia Ataque de Risos.

No dia 25 de Abril, a parceria SBT/Televisa chega ao fim.

Em maio, o SBT ganhou mais uma afiliada, a Rede Massa (emissora do ex-apresentador Carlos Massa, o Ratinho) que está presente em todo o estado do Paraná, conforme anunciado no Jornal do SBT – Manhã do dia 22.

Em 1 de junho houve a estréia do novo Programa Silvio Santos um programa de auditório com jogos e atrações musicais.

Desde 9 de junho ás 22h, o SBT reprisa após 18 anos, a novela Pantanal, da extinta Rede Manchete.

Em 30 de junho o SBT lança a linha de shows denominado SBT Show com os programas Hebe, Nada Além da Verdade, Astros, A praça é nossa, Topa ou não topa e SuperNanny, de segunda a sexta, respectivamente e houve o lançamento das séries Ugly Betty e Grey’s Anatomy

No dia 5 de julho o SBT lança o musical Uma Hora de Sucesso com a dupla Zezé di Camargo e Luciano.

No dia 1º de setembro, estréia o programa Olha Você


GLOBO

setembro 13, 2008

Rede Globo

Rede Globo de Televisão
Globo Comunicação e Participações S.A.

Forma geométrica básica do logotipo da Rede Globo, sem a colorização personalizada por Hans Donner.
Gênero/Tipo Rede de televisão comercial
País Brasil Brasil
Fundação 26 de Abril de 1965 (43 anos)
Extinção  
Fundador Roberto Marinho
Pertence a Organizações Globo
Proprietário  
Presidente Roberto Irineu Marinho
Cidade de origem Rio de Janeiro, RJ
Sede Rio de Janeiro, RJ
Rua Lopes Quintas, 303, Jardim Botânico
Estúdios Rio de Janeiro, RJ
Central Globo de Jornalismo
Rua Von Martius, 22, Jardim Botânico
Rio de Janeiro, RJ
Central Globo de Produção
Estrada dos Bandeirantes, 6700, Jacarepaguá
São Paulo, SP
Central Globo de Produção/SP
Av. Dr. Chucri Zaidan, 46, Brooklin
Slogan A gente se vê por aqui BR
Nosso esporte é torcer pelo Brasil
uso nas olímpiadas
Canal {{{canal}}}
Satélite {{{satelite}}}
Formato de vídeo 240i (LDTV)
480i (SDTV)
1080i (HDTV)
Principais telespectadores {{{faixa_etaria}}}
Afiliações Endemol N.V.
Prefixo  
Cobertura Via satélite: 99,84% do território brasileiro
Significado da sigla {{{significado letras}}}
Emissoras próprias Globo Rio
Globo São Paulo
Globo Brasília
Globo Minas
Globo Nordeste
Emissoras afiliadas Lista completa
Cobertura internacional América
Europa
África
Japão
Nomes anteriores  
Nomes posteriores  
Página oficial redeglobo.globo.com
Disponibilidade aberta e gratuita
analógico Canal 04 VHF (Rio de Janeiro)
Canal 05 VHF (São Paulo)
Canal 10 VHF (Distrito Federal)
digital Canal 29 UHF (Rio de Janeiro)
Canal 18 UHF (São Paulo)
Canal 33 UHF (Belo Horizonte)
Canal 34 UHF (Goiânia)
Disponibilidade por satélite
SKY Brasil Canal 04 (Rio de Janeiro)
Canal 05 (São Paulo)
SKY LA Canal 275
StarOne C2 1430 H
Disponibilidade por cabo
NET Canais 19 e 20

A Rede Globo (também conhecida como TV Globo ou simplesmente Globo) é uma rede de televisão brasileira que iniciou suas atividades no dia 26 de abril de 1965, no Rio de Janeiro. Foi fundada e dirigida pelo empresário Roberto Marinho até sua morte, em 2003, quando passou ao controle de seu filho, Roberto Irineu Marinho. Atualmente, a emissora é uma das maiores de toda a América e a quarta maior do mundo, assistida por 80 milhões de pessoas diariamente.[1][2] A empresa faz parte do grupo empresarial Organizações Globo. A matriz da empresa encontra-se no bairro do Jardim Botânico, no Rio de Janeiro. O departamento de notícias está situado no Jardim Botânico, e seus principais estúdios de produção localizam-se no complexo conhecido como Projac, em Jacarepaguá, na Zona Oeste da cidade. Em 2007, a Globo alterou suas operações analógicas com o propósito de construir uma produção televisiva em alta definição para a televisão digital.

História

Em Julho de 1957, o Presidente da República, Juscelino Kubitschek, aprovou a concessão de TV para a Rádio Globo e, em 30 de Dezembro do mesmo ano, o Conselho Nacional de Telecomunicações publicou um decreto concedendo o canal 4 do Rio de Janeiro à TV Globo Ltda. Sendo assim a TV Globo do Rio de Janeiro foi criada no dia 26 de Abril de 1965.

 Início da expansão

Em 1966, a TV Globo chegou a São Paulo com a aquisição do canal 5 que, desde 1952, funcionava como a TV Paulista, de propriedade das Organizações Victor Costa. Em 5 de Fevereiro de 1968, foi inaugurada a terceira emissora, em Belo Horizonte, e as retransmissoras de Juiz de Fora e de Conselheiro Lafaiete, além de um link de microondas que ligava o Rio de Janeiro a São Paulo.

As primeiras emissoras afiliadas à Rede Globo foram a TV Triângulo (Rede Integração de Uberlândia), TV Gaúcha (RBS TV Porto Alegre), no ano de 1967, e TV Anhanguera (Rede Anhanguera), em 1968.

 O acordo com a Time-Life

Em 1967, Roberto Marinho assinou um contrato de colaboração entre a Globo e o grupo Time-Life. O acordo parecia ir contra a lei brasileira, na medida em que dava a uma empresa estrangeira interesses em uma empresa nacional de comunicações, recebendo severas críticas, vindas principalmente do grupo Diários Associados, controlado por Assis Chateaubriand, que era dona da TV Tupi, a mais antiga emissora de TV da América Latina. Mas o acordo deu vantagens decisivas a Roberto Marinho. Vantagens da ordem de seis milhões de dólares, enquanto que a melhor emissora do grupo Tupi tinha sido montada com trezentos mil dólares. Foi o embrião para a criação da futura rede de televisão. No entanto, o acordo não foi considerado ilegal, pois previa apenas colaboração tecnológica e financeira, que, dada a polêmica, foi encerrado, e a dívida adimplida ao longo da década de 70.

 O início da Rede Globo

O início da TV Globo como uma rede de emissoras afiliadas por todo o país se dá a partir de 1969, quando entrou no ar o “Jornal Nacional“, primeiro telejornal em rede nacional, ainda hoje transmitido pela emissora e líder de audiência nacional. O primeiro programa foi apresentado por Hilton Gomes e Cid Moreira.

Em 21 de Abril de 1971, entrou no ar a TV Globo Brasília, no canal 10, apresentando uma partida do Vasco contra o Flamengo — ao vivo do Rio de Janeiro — e o programa Som Livre Exportação.

Em 1971 também entrou no ar o “Jornal Hoje“.

Em 1972 foi inaugurada a TV Globo Recife. Também naquele ano a Globo participou do pool de emissoras que efetuou a 1ª transmissão nacional e oficial em cores, junto com as concorrentes Tupi, Record, Bandeirantes entre outras. A televisão mostrou a abertura da Festa da Uva, em Caxias do Sul, em 19 de Fevereiro.

Em 31 de Março de 1972, (dia da inauguração do sistema de televisão em cores no Brasil), a TV Globo exibiu o especial “Meu Primeiro Baile“, o primeiro programa da televisão brasileira inteiramente gravado em cores. Em 1973 estreou o “Globo Repórter“, ainda hoje transmitido pela emissora.

Ainda em 1973 entrou no ar o programa “Fantástico“, também líder de audiência e ainda hoje transmitido aos domingos. A partir de 28 de Abril de 1974, passou a ser transmitido em cores. Em 1977 toda a programação da emissora passa a ser a cores. Em 1982 a emissora implantou a transmissão via satélite.

Sede da Rede Globo, no bairro do Jardim Botânico, Rio de Janeiro.

Sede da Rede Globo, no bairro do Jardim Botânico, Rio de Janeiro.

A década de 1970 é o momento em que a Globo começa a construir o que seria chamado de “Padrão Globo de Qualidade”, em que o horário nobre é preenchido com duas novelas encaixadas por um telejornal curto e sintético, uma telenovela que seria chamada a partir de então de “novela das oito” e, depois, uma linha de shows, filmes ou o “Globo Repórter“, sempre com bastante regularidade de horário e programação. Este padrão nada mais é do que a chamada “grade fixa”, tanto na vertical (sequência dos programas no dia), quanto na horizontal — respeito à sequência ao longo dos dias da semana — , orquestrada por Walter Clark e José Bonifácio de Oliveira Sobrinho (mais conhecido como “Boni”) em 1960, antes responsáveis pela programação da extinta TV Excelsior. A grade fixa é utilizada pela Globo nos dias de hoje fielmente.

Grande parte das “inovações” impostas na grade de programação e na forma de produção dos programas foi obtida graças à contratação de profissionais oriundos da TV Excelsior, cuja concessão fora cassada pelo Governo Militar em 1970, e que já operava com muitos dos parâmetros utilizados pela Rede Globo para criar seu “Padrão Globo de Qualidade”.

Este padrão seria decisivo para a conquista da liderança de audiência, pois, no final da década de 1970, as duas grandes redes, a Rede Record e a Rede Tupi, estavam se deteriorando por falta de recursos e estratégia, sobrando apenas a Globo como uma alternativa de certa qualidade.

Curiosidades

As telenovelas

A Rede Globo especializou-se em fazer telenovelas, que são vendidas atualmente para mais de trinta países. Novelas de inúmeros gêneros: comédias, românticas, atuais e de época, ambientadas no Rio de Janeiro, em São Paulo, no campo, no litoral e em todos os estados brasileiros.

Existem dúvidas entre diversos críticos e especialistas se tais novelas veiculam opiniões, usos e costumes de toda a sociedade brasileira e se elas refletem a sociedade brasileira. Alguns alegam ser impossível dada a extensão geográfica e à elevada diversidade sócio-cultural do país.

Por outro lado, as telenovelas da Globo no Brasil, bem como telenovelas mexicanas no México e séries de televisão nos Estados Unidos produzem de imediato fenômenos de “massificação”, objeto de diversos estudos mas que pode ser verificado de maneira empírica e simples sem necessidades de um protocolo ou estudo experimental complexo e ao alcance de qualquer indivíduo: basta sair ao comércio de roupas e calçados, em qualquer região do país, em busca de itens que estejam em sincronia com o que surge na TV. O fato é conhecido da indústria que explora o potencial de marketing associado.

Atualmente a emissora está no Guiness Records por ter mais de 260 telenovelas já gravadas e outras quatro ainda em andamento. A telenovela-série “Malhação” está no ar de segunda-Feira a sexta-feira, desde 24 de Abril de 1995. A Globo produz também programas de variedades, séries, jornalismo e esporte.

Alguns críticos apontam as telenovelas como uma das causas da derrocada do cinema brasileiro desde a década de 1980, o que é questionado por outros, uma vez que as Organizações Globo, desde a década de 1990, tem investido no mercado cinematográfico, aproveitando sua infra-estrutura, sua experiência no formato televisivo e seus contratos com atores e diretores.

A dúvida entre vários críticos também é se a renda do brasileiro, que é baixa, levaria também o brasileiro ao cinema para ver filmes nacionais pagos, uma vez que as telenovelas são gratuitas e disponíveis em várias edições e formatos. Além disso, o público que assiste filmes norte-americanos e europeus e paga por ingresso não é necessariamente o mesmo público que assiste à Globo gratuitamente e de maneira sistemática. Por outro lado, críticos da emissora dizem que as produções cinematográficas da Globo são excessivamente comerciais e pecam em qualidade, e que a emissora não incentiva de verdade o cinema brasileiro, preferindo transmitir em sua grade a cerimônia do Óscar e não transmitindo o Festival de Cinema de Gramado na íntegra, preferindo um evento de massa a um evento mais restrito.

Jornal Nacional

Sede da Rede Globo em São Paulo

Sede da Rede Globo em São Paulo

O “Jornal Nacional” foi o primeiro telejornal brasileiro a ser transmitido em rede nacional, em 1969. Os episódios narrados a seguir são comentados por seus protagonistas no livro 35 Anos de Jornal Nacional, lançado em 2004.

  • Em 1989, criou-se uma polêmica por conta da edição do debate presidencial apresentado pelo telejornal dias antes das eleições. A emissora foi acusada de ter favorecido o candidato Fernando Collor de Mello, que disputava o segundo turno do pleito eleitoral com Luiz Inácio Lula da Silva. A TV Globo teria privilegiado os melhores momentos de Collor e os piores de Lula na edição do debate. Desde então, a emissora, como já o faziam as emissoras concorrentes, passou a apresentar os debates na íntegra, sem editá-los[carece de fontes?]. Isso evita que as escolhas que necessariamente fazem parte do trabalho de edição sejam interpretadas — às vésperas do debate com os ânimos dos envolvidos na campanha exaltados — como manipulação dos fatos.
  • O Jornal Nacional foi acusado de omitir informações sobre a campanha das Diretas Já, em 1984, porque deu a notícia do grande comício na Praça da Sé, em São Paulo, no dia 25 de janeiro na mesma matéria em que noticiou as comemorações do aniversário da cidade. Na verdade, o telejornal não fazia referência ao comício na escalada da edição daquele dia, citando apenas o aniversário da cidade. “A cidade de São Paulo festeja os 430 anos de fundação”. Na chamada, o apresentador Marcos Hummel referia-se ao comício como um dos eventos comemorativos do aniversário da capital. Mas havia realmente relação entre a manifestação e o aniversário da cidade, uma vez que o comício havia sido marcado naquela data para facilitar a participação popular. Depois da chamada: “Festa em São Paulo. A cidade comemorou seus 430 anos com mais de 500 solenidades. A maior foi um comício na Praça da Sé”, foi ao ar uma reportagem de Ernesto Paglia que informava claramente o conteúdo político do evento. O texto informa que milhões de pessoas foram ao Centro de São Paulo para, na praça da Sé, se reunir num comício em que pediam eleições diretas para presidente e que o evento não era apenas uma manifestação política. Cita a abertura, a música e a presença de vários artistas. A matéria mostra imagens da praça lotada e do radialista Osmar Santos apresentando os oradores. O governador de São Paulo, Franco Montoro, fez o discurso de encerramento:
Um dos passos na luta da democracia. Houve a anistia, houve a censura, o fim da tortura; mas é preciso conquistar o fundo do poder que é a Presidência da República.
 
— Franco Montoro

 

 Esportes

Sendo líder de audiência e acumulando os direitos de transmissão de competições estratégicas, a Rede Globo adota a lógica de tratamento adotada para outros tópicos como cultura e ciência, ditada por estatísticas de interesse da maioria. Sob o ponto de vista da Teoria da informação pode-se concluir que a emissora adota a antítese: jamais apresenta informação nova.

A Rede Globo possui direitos de transmissão sobre:

Futebol

Desde o final da década de 1990, ela detém os direitos sobre as transmissões das principais competições de futebol.

Fórmula 1

O direito de transmissão do campeonato de Fórmula 1 é comprado todos os anos pela Rede Globo, desde a década de 1980. A emissora detém a exclusividade sobre os direitos de transmissão das provas.

Olimpíadas

Há tempo, a Rede Globo possui os direitos de transmissão. Ela mantém há anos uma equipe pequena — normalmente 2 ou 3 comentaristas esportivos — obrigada a acompanhar todas as modalidades esportivas neste evento. O resultado é uma pronunciada baixa de qualidade, fruto da impossibilidade de um único narrador conhecer aspectos técnicos de vários esportes. Comparativamente, durante os Jogos Olímpicos de 2004, duas redes francesas de televisão se revezaram 24 horas por dia durante todo o evento. Diversos narradores diferentes e especialistas em cada esporte narravam cada competição ao público.

No Beijing 2008, a Globo foi a responsável por transmitir para todo o mundo os jogos de Voleibol de praia[3].

Além de acordos com outras modalidades esportivas.

Controvérsias

 Muito Além do Cidadão Kane

Ver artigo principal: Muito além do Cidadão Kane

Em 1993, o Channel Four (contrariando a crença geral de que seria a BBC), uma rede de TV Britânica, produziu um filme que conta a história da Rede Globo de Televisão. O documentário foi proibido no Brasil desde 1994, graças a uma ação judicial movida por Roberto Marinho. Atualmente existem poucas cópias em circulação no Brasil, além de versões piratas circulando pela internet, como no site Youtube. O filme conta com a participação de alguns artistas, políticos, e especialistas como Luiz Inácio Lula da Silva, Chico Buarque, Leonel Brizola e Washington Olivetto. O documentário jamais esteve no circuito de cinemas brasileiros e a exibição que ocorreria no Museu de Arte Moderna (MAM), do Rio de Janeiro, foi proibida pelo então presidente da República, Itamar Franco.

O título original é “Beyond Citizen Kane“. Ele teve origem no personagem de Orson Welles, Cidadão Kane ou Charles Foster Kane , criado no final da década de 1940, como protótipo do magnata dono de um império de comunicação. O personagem Cidadão Kane, por sua vez, foi criado por Wells para o filme sobre William Randolph Hearst, magnata da comunicação nos Estados Unidos.

O documentário é dividido em 4 partes:

  • Na primeira parte ele mostra a relação entre a Rede Globo de Televisão e o regime da ditadura militar, no qual se vê fatos sociais que ocorram no país em decorrência do regime ditatorial.
  • Na segunda parte apresenta o acordo firmado entre a Rede Globo e o Grupo Time-Life.
  • Na terceira parte evidencia-se o poder do proprietário da Rede Globo, Roberto Marinho. Por outro lado, mostra também, o “apoio” da Rede Globo à redemocratização do país, na figura do candidato à presidência da República Tancredo Neves.
  • Na quarta parte, tida como a mais importante e reveladora do filme, mostra-se às claras os envolvimentos ilegais e mecanismos manipulativos utilizados pelas Organizações Globo em suas obscuras parcerias para com o poder em Brasília (incluindo fraudes em eleições, assassinatos encomendados por seus maiores figurões e outros).

 Eleições de 1989

A emissora é acusada de ter ajudado a eleger o candidato Fernando Collor de Mello nas eleições de 1989, através da manipulação de trechos do último debate de Collor contra Lula.

Há quem veja indícios de “manipulação” em algumas tramas de telenovelas na mesma época.

Uma delas é “Que Rei Sou Eu?“, que parodiava a situação política e econômica do Brasil em um país imaginário da Europa, em 1786, assolado em casos de corrupção, o que por outro lado, poderia beneficiar qualquer candidato da oposição ao então presidente José Sarney, não apenas Collor.

Outro caso de manipulação seria “O Salvador da Pátria“, em que um personagem matuto, chamado Sassá Mutema e interpretado por Lima Duarte, é usado por políticos inescrupulosos e se torna prefeito de uma pequena cidade do interior. A acusação seria a de que o personagem fora criado para ser identificado com o candidato do PT, Luís Inácio Lula da Silva, que não possui nível superior e dá declarações que são consideradas polêmicas para o nível educacional exigido dos homens políticos na época, dando a entender que Lula não seria adequado ao cargo de presidente por possuir uma falha educativa. Por outro lado, houve quem defendesse que o personagem fazia uma campanha a favor de Lula, pois mostrava um homem simples e humilde que estava preocupado com o bem-estar de seu povo.

 Diretas Já!

A Rede Globo acompanhou os primeiros comícios pelas eleições diretas apenas nos telejornais locais. Naquele primeiro momento, as manifestações não entraram nos noticiários de rede. Quando a adesão popular ao movimento cresceu, de fato, o Jornal Nacional passou a noticiar todas as manifestações de rua. No dia 25 de Janeiro, foi ao ar, pela primeira vez em rede, aquele que é considerado o primeiro grande comício das diretas, realizado na praça da Sé, em São Paulo. Naquele dia, o telejornal exibiu reportagem de dois minutos e 17 segundos sobre o tema. No entanto, a matéria criou polêmica, porque teria informado que o comício era apenas uma festa em comemoração aos 430 anos da cidade de São Paulo.

Direito de resposta de Leonel Brizola

Em 15 de Março de 1994, a Rede Globo colocou no ar durante o Jornal Nacional direito de resposta obtido pelo então governador do Rio, Leonel Brizola, após dois anos de disputa judicial [4]. Brizola havia entrado na Justiça contra a Globo em 1992, depois que o Jornal Nacional de 6 de Fevereiro daquele ano divulgou trechos do editorial que seria publicado no dia seguinte pelo jornal O Globo, intitulado “Para entender a fúria de Brizola”. O governador do Rio, que queria impedir a emissora de transmitir o desfile carioca das escolas de samba daquele ano era acusado pelo editorial de O Globo de sofrer “declínio da saúde mental” e de “deprimente inaptidão administrativa”. Na resposta que foi ao ar, lida pelo locutor Cid Moreira, Brizola dizia não reconhecer na Globo “autoridade em matéria de liberdade de imprensa” e que a emissora teve “longa e cordial convivência com os regimes autoritários e com a ditadura de 20 anos que dominou nosso país”. Brizola dizia ter sido “apontado como alguém de mente senil”. Na seqüência, argumentava: “Ora, tenho 70 anos, 16 a menos que meu difamador, que tem 86 anos. Se é este o conceito que tem sobre os homens de cabelos brancos, que os use para si”.

 Eleições de 2006

Houve várias críticas à forma como a Globo fez cobertura das eleições, principalmente quanto a uma atenção exagerada a indícios negativos em relação ao PT, fato que levou a emissora a fazer, internamente, um frustrado abaixo-assinado [5] para tentar defender-se das críticas e de reportagem da revista CartaCapital [6]. Mais tarde, Rodrigo Vianna, ex-jornalista da emissora, divulga carta aberta em que critica várias das posturas da emissora, dando sua visão de como os processos se davam internamente e criticando o abaixo-assinado interno da emissora [7].


REDE GAZETA

setembro 13, 2008

Rede Gazeta

Rede Gazeta
Fundação Cásper Líbero
Gênero/Tipo Rede de Televisão Comercial
País Brasil Brasil
Fundação 25 de Janeiro de 1970 (38 anos)
Extinção {{{extinção}}}
Fundador {{{fundador}}}
Pertence a Fundação Cásper Líbero
Proprietário {{{proprietário}}}
Presidente {{{presidente}}}
Cidade de origem {{{cidade de origem}}}
Sede São Paulo, SP
Estúdios São Paulo, SP
Av. Paulista, 900, Cerqueira César
Slogan A TV com a cara de São Paulo
Canal  
Satélite {{{satelite}}}
Formato de vídeo {{{formato de vídeo}}}
Principais telespectadores Todas as idades
Afiliações {{{afiliações}}}
Prefixo {{{prefixo}}}
Cobertura Via satélite
Significado da sigla {{{significado letras}}}
Emissoras próprias  
Emissoras afiliadas Lista de emissoras
Cobertura internacional {{{internacional}}}
Nomes anteriores Rede OM
CNT/Gazeta
Nomes posteriores {{{nomes posteriores}}}
Página oficial www.tvgazeta.com.br

A Rede Gazeta é uma rede de televisão brasileira inaugurada em São Paulo, SP no dia 25 de janeiro de 1970 pela Fundação Cásper Líbero.

A Fundação Cásper Líbero, há 63 Anos, é uma instituição sem fins lucrativos que administra um vasto complexo de comunicações. Sediado em São Paulo, reúne, hoje, a TV Gazeta, a Rádio Gazeta AM/FM, o diário esportivo eletrônico gazetaesportiva.net (antigo impresso A Gazeta Esportiva), a Gazeta Press, além da Faculdade Cásper Líbero (uma das melhores escolas de comunicação do país).

Índice

[esconder]

História

 Anos 50 e 60

A história da TV Gazeta, confunde com a “História da Televisão no Brasil”. Projetada desde a década de 50, teve suas instalações superdimensionadas. Seu prédio é referência na Avenida Paulista. Tem uma grande área de estúdios, uma central técnica bem distribuída, e o que é melhor, muita área para crescer. Só para se ter uma idéia, a Fundação Cásper Líbero alugou boa parte dos espaços ociosos do prédio, que hoje em dia são habitados por escritórios e transmissores da TV Globo (São Paulo), as rádios Trianon e Mix, a TV CBI, salas e salas do colégio Objetivo, e ainda dispõe de cinemas e um teatro. Como se não bastasse, há a pioneira Faculdade Cásper Líbero, as rádios Gazeta AM e FM, e diversas áreas ainda livres.

Anos 70

A TV Gazeta foi inaugurada no dia 25 de janeiro de 1970, aniversário de 416 anos da cidade de São Paulo. A primeira emissora montada com equipamento para transmissão em cores, teve a primeira unidade para transmissão externa colorida do país. A Gazeta alimentou o sonho de tornar-se rede em meados da década de 70, quando o mercado começava a se modificar. Tupi e Record estavam decadentes, a Bandeirantes pensava na possibilidade de se tornar rede e a Globo se firmava no panorama.

Havia a possibilidade de surgimento da Rede Jornal do Brasil, mas isso não preocupava muito a Gazeta, que chegou a colocar programação em emissoras da região norte do país, em boa parte do Estado de São Paulo, e dava como certa a concessão do canal 11 do Rio de Janeiro. Só que a história não foi bem assim. Em 1976, Sílvio Santos ganhou a concessão do canal carioca (que se tornou a pedra fundamental do futuro SBT), e a Band fez propostas melhores e levou para sua rede as emissoras que a Gazeta havia afiliado na região amazônica. Com o tempo, os equipamentos da emissora começaram a ser sucateados, não havia caixa suficiente para reaparelhamento, muitos profissionais começaram a mudar de estação, o público passou a assistir cada vez menos à programação e a Gazeta entrou numa fase de ostracismo, que iria durar até meados da década de 80. Muita gente até ignorava que o canal 11 (em São Paulo) estivesse no ar.

Mas é importante lembrar de um fato inesquecível da TV Gazeta no ano de 1973: Havia sido feito um acordo entre o Governo Federal da Argentina, sob o comando de Perón, e o do Brasil, que estabelecia que os técnicos da televisão brasileira iriam implantar a televisão em cores na Argentina, fazendo com que na primeira transmissão colorida a operação estivesse sob os nossos cuidados. Foi a festa da OTI (no Teatro Colón, de Buenos Aires). O Governo Brasileiro designou a equipe da TV Gazeta, canal 11 de São Paulo para este feito. A Rede Tupi exibiu simultaneamente o fato, mesmo sendo totalmente este organizado pela Gazeta, com flashs especiais dos ensaios e do espetáculo durante a transmissão direto da Argentina para o Brasil via satélite. E um momento emocionante deste dia foi quando a equipe da Gazeta deu licença para que os profissionais locais encerrassem aquela primeira transmissão à moda argentina. Muito argentinos abraçaram os técnicos argentinos e brasileiros e um choro constante rolando direto entre todos os operadores, movidos pela emoção.

 Anos 80

Em 1983, para piorar a situação da Gazeta, uma competidora de peso entra na briga: a Rede Manchete de Televisão, canal 9, que apesar de não ser tão grande quanto as demais, tinha recursos de sobra, ao contrário da Gazeta. Portanto, parecia fadada novamente a cair no esquecimento.

Entre 1984 e 1985, a emissora faz uma parceria com o Grupo Abril, que resolvera entrar no mercado de televisão. Já que o governo não dava uma concessão à editora, a Abril Vídeo surgiu comprando praticamente todo o espaço noturno da Gazeta, que, apresentando programas de qualidade, passou a ser novamente assistida. Mesmo depois da saída da empresa Abril, a Gazeta continuou tendo uma audiência razoável, mas a manutenção de uma programação realmente competitiva, no molde das demais redes, era arriscada e inviável.

Em 1987, um acontecimento histórico ocorre na emissora: uma equipe de jovens profissionais chegara ao departamento de programação da emissora e implantara uma linha de programas que poderia ser considerada suicida. Era o nascimento de algo chamado TV Mix. Um programa feito praticamente no improviso, que começava as oito da manhã e ia ao vivo até o meio-dia, de segunda a sexta-feira, apresentando sem recursos e sem compromisso. E esse programa pegou. No comando, entre vários apresentadores, uma descontraída Astrid Fontenelle. Depois, muitos vieram se juntando, como Paula Dip, Sérgio Groissman e outros. A Gazeta começava a virar referência na manhã paulistana. Era uma tremenda alternativa aos programas infantis e femininos que compunham a grade de outros canais. E melhor ainda: a audiência era formada por telespectadores de diversas faixas etárias.

A festa também não durou muito. Por volta de 1990, devido a mudanças internas, o projeto “televisão desindexada”, como foi chamado, acabou sendo desativado, e a Gazeta começou a decair, com uma programação mais morna, calcada, sobretudo, em filmes que eram comprados diretamente da Rede Globo, quando essa não tinha mais lugar para exibi-los. A emissora parecia condenada a ficar transmitindo apenas para São Paulo, sem muitas perspectivas de crescimento.

 Anos 90

Na década de 90, ocorre nova fase de mudança da emissora, no início da década, onde começou a parceria entre a Rede OM (Organizações Martinez) e a TV Gazeta de São Paulo. A reviravolta ocorreu precisamente no início de 1992, quando a TV Paraná (em Curitiba) e a TV Tropical (em Londrina) resolveram sair da Rede Record (que começava a crescer rapidamente) e assim fundava-se a Rede OM. Conquistando afiliadas em todo o país (com as graças do então presidente Collor, de quem o dono da rede era correligionário), a OM logo começou a convencer a Gazeta com a possibilidade de afiliação, o que acabou sendo muito bem aceita, a princípio.

Foram tempos de crescimento rápido. A nova rede tinha Galvão Bueno em seu quadro de funcionários e era a grande promessa para a década. No meio do ano, todos apostavam que seria para os anos 90 o que o SBT fora para os anos 80. No entanto, Collor foi acusado de corrupção e sofreu impeachment.

Em 1993, a Rede OM vira a CNT e nunca mais cresceu como antes, pois a recente Rede Record acaba levando boa parte de suas afiliadas. Seguiu-se o período de operação conjunta com a CNT. Durante a década, reconhecia-se que boa parte dos programas que eram feitos na emissora paulista e, transmitidos em rede, eram responsáveis pelas maiores audiências e, consequentemente, pelos maiores faturamentos. A Gazeta percebia que podia andar sozinha e voltar a crescer.

A Gazeta ainda levara outro desfalque, perdendo a concessão do canal 12 de Santos, emissora no litoral paulista que tentara fazer funcionar por duas vezes. A concessão, da década de 70, acabara caducando.

Nessa década, a dupla Rede CNT e Gazeta chegam a exibir em todo o Brasil novelas estrangeiras, programas de audiências como os populares programas policiais de “Cadeia” e “190 Urgente“, o game interativo “Hugo Game“, “Mesa Redonda“, “Mulheres” e forte presença no jornalismo e nos esportes.

 Ano 2000: fim da CNT/Gazeta

A parceria CNT e Gazeta desde 1993 é desfeita em Agosto de 2000, quando a Gazeta não renova o contrato, deixando a Grande São Paulo e municípios sem o sinal da CNT até 2001. Com isso, a TV Gazeta iniciou seu processo de rede, com a implantação de repetidoras no interior de São Paulo e outros estados, a primeira desde que entrou no ar em 1970.

Por outro lado, programas como Mesa Redonda, Mulheres e forte presença no jornalismo e nos esportes, responsável pelo faturamento de audiência da dupla emissora, permaneceram na Gazeta.

Década de 2000

Em 16 de julho de 2001, a Rede Gazeta e o Jornal Gazeta Mercantil se unem para criar o novo telejornalismo da emissora, que agora, além dos esportivos e o “Em Questão” (com Maria Lídia), incorporam a grade de programação os jornais “Primeira Página“, “Mercado” e “Jornal da Gazeta“, que inaugurou com sucesso o jornalismo naquele dia. Foram reformulados todos os programas jornalísticos da emissora, até mesmo o esportivo “Gazeta Esportiva“.

O “Jornal da Gazeta” estreou com cobertura direta da capital argentina de Buenos Aires, já que o Brasil passava por dificuldade devido a crise econômica no país vizinho. Assim, Carlos Alberto Sardenberg (da CBN-Brasil e ex-comentarista econômico da TV Cultura), Gustavo Camargo e Camila Teich comandaram a primeira edição do “Jornal da Gazeta“, tendo Maria Lídia como convidada. Assim as duas faces da Rede Gazeta, a nova e a antiga se encontram para reabrir o telejornalismo informativo da emissora, sob a direção do ex-diretor Albino Castro do TJ Brasil (SBT) na época de maior sucesso, com Bóris Casoy, de 1988 até 1997.

E o canal no primeiro semestre de 2001 também já havia feito alterações: o programa musical “Clipper” entrava no ar e “Mulheres” passava de Leão Lobo e Márcia Goldschmidt, que foram para a Rede Bandeirantes, para Clodovil e Christina Rocha.

Mulheres” é o programa mais tradicional da Gazeta junto com “Em Questão” e “Mesa Redonda“. “Mulheres” começou com Clarisse Amaral sob o nome de “Programa Clarisse Amaral“. Com a entrada da responsável pelo setor de moda das Lojas Mappin, Ione Borges ao lado de Clarisse, o programa passa a se chamar “Clarisse Amaral em Desfile“. Com a saída da apresentadora, o programa continua com Ione, agora ao lado da locutora de rádio Claudete Troiano, dando início às “parceirinhas” do programa “Mulheres em Desfile“. Com a separação da dupla no final da década de 90, Claudete muda de emissora e “Ione” em 2001 apresenta o programa “Pra Você” e “Ione” (sendo que na época do início de “Pra Você“, Ione faz este programa enquanto “Mulheres” fica à cargo só de Claudete). Claudete Troiano apresentou “Note e Anote“, na Rede Record, e Ione Borges apenas seu programa de auditório homônimo. Aí Márcia e Leão Lobo entram para dar continuidade ao programa.

Com o passar dos anos, sua programação foi sendo reformulada, adaptando-se às exigências do público e anunciantes, para atender à dinâmica da televisão moderna.

Mas com o fim da parceria, parte da programação começou a ser preenchida pelos chamados informeciais.

Desde 2006, a emissora paulista busca retomar sua grade de programação, com programas jornalísticos, de entretenimento e comercias. O primeiro passo foi a estréia, no mês de dezembro, do “BestShopTV“, programa de televendas que tem como principais apresentadores Viviane Romanelli, Fernando Fernandez, Carol Minhoto, Pamela Domingues, Claudia Pacheco, Thiago Oliveira, Paloma Silva,Regiane Tapias. Em 2007, dois outros programas, de produção própria, estrearam: Super Ofertas (que traz espaço para pequenos e médios anunciantes) e Papo de Amigos, sob o comando de Amanda Françozo.

Atualmente seu sinal chega a mais de 300 municípios em todo o país, através de retransmissoras e emissoras afiliadas. E com a transmissão por satélites digitais e analógicos, a programação da TV Gazeta também pode ser acompanhada pelos sistemas de TV paga (a cabo e satélite) TVA, Net, TecSat e também através das antenas parabólicas analógicas e digitais.

 Grandes sucessos

Algumas atrações da Rede Gazeta se tornaram grandes sucessos. O maior sucesso da Rede Gazeta foi as Pegadinhas do Mallandro que atingiu o 1º lugar da audiência e por algumas outras semanas ficaram em 2º lugar no Ibope. Outros sucessos como Mesa Redonda e Mulheres continuam dando boa audiência para a emissora. Uma das últimas novidades da emissora foi a estreia de BestShoptv.com que começa a ganhar destaque na programação.

Eventos especiais

A Rede Gazeta tem tradição de fazer grandes coberturas de eventos; foi a primeira emissora do país a transmitir a corrida de Fórmula 1 em cores.

Alguns eventos especiais da emissora são:

Além dos especiais feitos nos programas como musicais ou coberturas especiais.

 Programas

 Apresentadores

Antigos apresentadores

 Emissoras


RECORD

setembro 13, 2008

Rede Record

Rede Record
Rádio e Televisão Record S/A

Centro de operações da Rede Record (Teatro Record), em São Paulo.
Gênero/Tipo Rede de televisão comercial
País Brasil Brasil
Fundação 27 de Setembro de 1953 (54 anos)
Extinção {{{extinção}}}
Fundador Paulo Machado de Carvalho
Pertence a Central Record de Comunicação
Proprietário Edir Macedo
Presidente Alexandre Raposo
Cidade de origem São Paulo, SP
Sede São Paulo, SP
Estúdios São Paulo, SP
Teatro Record
Rua da Várzea, 240, Barra Funda
Rio de Janeiro, RJ
RecNov
Estrada dos Bandeirantes, 23.505, Vargem Grande
Slogan Com você é melhor BR
Canal {{{canal}}}
Satélite {{{satelite}}}
Formato de vídeo 480i (SDTV)
1080i (HDTV)
Principais telespectadores Todas as idades
Afiliações {{{afiliações}}}
Prefixo {{{prefixo}}}
Cobertura Via satélite: 99,01% do território brasileiro
Significado da sigla {{{significado letras}}}
Emissoras próprias São Paulo
Santos
Bauru
São José do Rio Preto
Franca
Rio de Janeiro
Campos dos Goytacazes
Brasília
Goiânia
Belo Horizonte
Salvador
Belém
Porto Alegre
Emissoras afiliadas Lista de emissoras
Cobertura internacional América do Sul
América do Norte
Europa
Ásia (parcialmente)
África
Nomes anteriores {{{nomes anteriores}}}
Nomes posteriores {{{nomes posteriores}}}
Página oficial www.rederecord.com.br
Disponibilidade aberta e gratuita
analógico Canal 7 (São Paulo)
Canal 13 (Rio de Janeiro)
Canal 8 (Brasília)
digital Canal 19 (São Paulo)
Canal 39 (Rio de Janeiro)
Canal 28 (Belo Horizonte)
Disponibilidade por satélite
SKY Brasil Canal 14
TVA Canal 7
Disponibilidade por cabo
NET Canal 19 (São Paulo e Brasília)
Canal 24 (Rio de Janeiro)
Canal 16 (Belo Horizonte)
TVA Canal 7

A Rede Record de Televisão é uma rede de televisão aberta do Brasil fundada por Paulo Machado de Carvalho em 1953, sendo a mais antiga emissora em atividade do país. A partir da década de 1990, passou a pertencer ao empresário e bispo da Igreja Universal do Reino de Deus Edir Macedo Bezerra.

Sua sede está localizada no bairro da Barra Funda, na cidade de São Paulo. Possui um núcleo de teledramaturgia sediado no bairro de Vargem Grande, na Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro, conhecido como RecNov.

História

Década de 1950

A TV Record estreou no dia 27 de Setembro de 1953, às 20h53min, com um programa musical apresentado por Sandra Amaral e Hélio Ansaldo; com o objetivo de deixar de existir o monopólio da televisão no Brasil naquela época, comandado até então pelos Diários Associados e sua TV Tupi. A emissora pertencia ao empresário Paulo Machado de Carvalho.

Nesse início de operações, a TV exibia programas musicais (dentre os quais, com célebres como Nat King Cole, Charles Aznavour, Ella Fitzgerald e Marlene Dietrich), esportivos, teatrais, humorísticos e informativos.

Em 1954, entrou no ar o primeiro seriado produzido no Brasil, “Capitão 7“, estrelado por Ayres Campos e Idalina de Oliveira, o seriado ficou no ar até 1966. Em 1954 foi criado o programa “Mesa redonda“, apresentado por Geraldo José de Almeida e Raul Tabajara. Em 1955 entrou no ar, “Grande Gincana Kibon“, sendo apresentado por dezesseis anos.

Em 18 de Setembro de 1955, a Record fez história na TV brasileira com a primeira transmissão externa de um jogo de futebol, a partida jogada na Estádio Vila Belmiro e transmitida pela emissora foi entre Santos — que venceu de 3 a 1 — e Palmeiras. A TV Record foi a primeira emissora a fazer uma transmissão, ao vivo, do Grande Prêmio de Turfe do Brasil, diretamente do Jóquei Clube do Rio de Janeiro. A TV Record torna-se imbatível na cobertura esportiva na década de 1950.

Década de 1960

Na década de 1960 começam os chamados Anos Dourados da emissora, que tornou-se líder na audiência.

A partir de 1965 a emissora volta suas atenções à Música Popular Brasileira (MPB) e alcança grandes índices de audiência. Programas como “O Fino da Bossa“, de Jair Rodrigues e Elis Regina, Os festivais da MPB, vindo da TV Excelsior, e “Jovem Guarda“, de Roberto Carlos tinham como objetivo divulgar a música brasileira. Torna-se muito popular na época os festivais da MPB.

Em 1967 estréia o seriado “A Família Trapo“, com Jô Soares e Ronald Golias. O seriado foi o maior sucesso da emissora até então.

Entretanto, os programas musicais já não chamavam mais a atenção do público — que começava a se voltar para as telenovelas da TV Tupi e da recente Rede Globo — e uma posterior série de incêndios nos estúdios acabam por ser o ponto culminante na decadência da emissora a partir de 1968. Mesmo numa época ruim, vale destacar as excelentes novelas exibidas pela emissora no início da década de 1970: “As Pupilas do Senhor Reitor” e “Os Deuses estão Mortos“, ambas de Lauro César Muniz.

Décadas de 1970 e 1980

Na década de 1970, mais precisamente em 1972, 50% de suas ações são vendidas para o comunicador Silvio Santos. A emissora permanece no segundo lugar nessa época. Suas transmissões são feitas principalmente por desenhos animados, séries de televisão e filmes. O “Jornal da Record” é do ano de 1972, e foi criado sucedendo o “Jornal da REI“, criado em 1970, que por sua vez sucedeu o “Repórter Esso“, sucesso na década de 60.

A emissora entra na década de 1980 com pouquíssimo público e operando em conjunto com a TVS e sendo praticamente uma retransmissora do SBT. Mesmo assim conta com relativos sucessos no jornalismo — com o Jornal da Record apresentado inicialmente por Paulo Markun e Sílvia Poppovic, em 1984, e Carlos Nascimento em 1989 — e nos esportes, com Silvio Luiz na frente de sua equipe esportiva. Destaca-se ainda o “Record em Notícias” que era apresentado diariamente ao meio-dia por Hélio Ansaldo e uma banca de comentaristas. A vinheta da rede era um inesquecível semi-círculo colorido semelhante a um arco-íris.

Década de 1990

Em 9 de novembro de 1989 a então TV Record que pertencia ao Grupo Silvio Santos e a Paulo Machado de Carvalho foi vendida ao empresário Edir Macedo. Comentou-se na época que a emissora tornaria-se um mero canal para propaganda de igreja, o que não se confirmou nos anos seguintes.

Em 16 de julho de 1990, a Record apresentou seu novo logotipo, novo slogan (“de volta pro futuro“) e sua nova programação, surpreendendo a concorrência ao empatar com a Rede Globo em Outubro de 1990. Sua primeira afiliada foi a TV Capital de Brasília. Segundo a página oficial da emissora na internet, “em 1991, a mudança do controle acionário deu início a uma nova fase. A Record ampliou sua programação, mantendo o jornalismo como carro-chefe e iniciou a formação de uma rede nacional de emissoras.“.

Em 1993, Ana Maria Braga, que havia passado pela Rede Tupi nos anos 70 estreou o programa feminino “Note e Anote“.

Em 1994, a então afiliada da Rede Manchete em Goiânia, TV Goyá, foi comprada do ex-deputado Múcio Athaide, transformando-se em Record Goiás.

Em 1995, a Rede Record comprou a TV Cultura, canal 6 de Florianópolis que fazia parte antes da Rede Tupi e depois foi passada ao SBT e à Rede Manchete e desde 1994 era parceira no projeto de rede da Rede OM de Televisão, atual Rede CNT em Santa Catarina. A partir de 4 de Novembro de 1995, a emissora passou a ser denominada Rede Record Santa Catarina, transformando-se em Cabeça de Rede em conjunto com as demais emissoras próprias da Rede Record. Neste ano a emissora foi alvo de críticas com a polêmica história do Chute na Santa, ocorrido num programa de baixa audiência na madrugada e que ganhou destaque no “Jornal Nacional” da Rede Globo e outros telejornais de emissoras concorrentes. Na época Edir Macedo pediu desculpas e afirmou que o ato praticado pelo bispo Sergio Von Hélder, não expressava os pensamentos da Igreja. Sobre o destaque dado no Jornal Nacional os proprietários da emissora alegaram que eram vitimas de perseguição religiosa devido ao crescimento de audiência da emissora — que ameaçava a hegemonia da Rede Globo — e a conversão de inúmeros fiéis, estes oriundos da Igreja Católica.

Em 1996, a emissora transmitiu os Jogos Olímpicos de Atlanta, nos Estados Unidos.

O ano de 1997 marcou a emissora por grandes contratações e lançamentos. A Record comprou a TV Itapoan canal 5 de Salvador, que retransmitia a programação do SBT e que atualmente é conhecida como Record Nordeste. Em Junho deste mesmo ano, Boris Casoy, que apresentava há nove anos o “TJ Brasil” no SBT, aceitou o convite da Rede Record e assinou contrato. No dia 14 de Julho, estreou no comando do “Jornal da Record“, entre 19h15min até 20h00min. O jornalístico tornou-se um dos programas de maior audiência e faturamento do canal, pela qualidade e credibilidade, além dos comentários de Boris Casoy. No dia 30 de Dezembro de 2005, Casoy não teve o contrato renovado pela TV Record, por não concordar com mudanças do departamento de jornalismo da emissora. Casoy afirmou que o PT pressionou a direção da Record para tirá-lo da emissora. A emissora ficou sem os anúncios de empresas federais, incluindo as propagandas da Petrobrás.

No mesmo ano, Carlos Massa (mais conhecido por seu apelido Ratinho), que apresentava o programa “190 Urgente” na CNT, foi contratado para apresentar o “Ratinho Livre“. Com um novo estilo, chamou a atenção do público, da mídia e dos concorrentes ao roubar preciosos pontos do SBT e principalmente da TV Globo. Logo após sua estréia, boatos sobre uma possível ida de Ratinho para outros canais começaram a circular, o que se concretizou em 1998. Em seu lugar o apresentador Gilberto Barros (apelidado como Leão) passa a apresentar o “Leão Livre“, no qual a audiência não era mais a mesma, e sendo cancelado no final de ano de 1999.

No entanto, entre Outubro de 1997 até fim de Dezembro de 1999, a audiência do “Ratinho Livre” leva a Record a ser segunda maior rede do país, tirando o SBT que tinha desde 1992, posto retomado em 2007.

Mais uma novidade: a emissora investia novamente em telenovelas. A última produção havia sido “O Espantalho“, exibida em 1977. Foram lançadas produções como “Canoa do Bagre” e “O Direito de Vencer“, em 1997, “Estrela de Fogo“, em 1998 e “Tiro e Queda“, em 1999, além do sucesso “Louca Paixão” — regravação de “2-5499 Ocupado“, da TV Excelsior) — com Maurício Mattar e Karina Barum, no mesmo ano. A emissora também fez telenovelas sobre passagens da Bíblia, como “O desafio de Elias“, vendida para vários países, e a partir de histórias sobrenaturais, caso de “A filha do demônio“.

Em 1998, a Record transmitiu a Copa do Mundo de 1998. A equipe, liderada por Luiz Alfredo, transmitiu os jogos nos estúdios montados no International Broadcast Center para o evento em Paris. Neste mesmo ano, após investimentos de R$ 10 milhões, foram lançados o telejornal “Fala Brasil“, uma revista eletrônica matinal, o infantil “Vila Esperança“, com Gérson de Abreu e o “Repórter Record“, com o experiente Goulart de Andrade.

Neste ano, a Record completou 45 anos e fez uma série de especiais, intitulados “Recorda Show“. Com presença de convidados ilustres na platéia, entre pioneiros da televisão, antigas estrelas da emissora, autoridades e personalidades, foram apresentados vídeos antigos, números musicais e homenagens. E Goulart de Andrade apresentou um “Repórter Record” Especial sobre o aniversário do canal, logo apresentando sua história.

Fábio Júnior estreou seu programa “Sem Limites para Sonhar” em 1999, assim como o humorístico “Escolinha do Barulho“. Nesta época, Ana Maria Braga foi contratada pela TV Globo e em seu lugar estreou Cátia Fonseca, que manteve o sucesso do “Note e Anote“. Posteriormente, foi contratada Claudete Troiano, que havia passado pela TV Manchete entre 1997 e 1998, e 1999 pela TV Gazeta.

Naquela década, estreou ainda o “Cidade Alerta“, programa policial que mostrava os problemas da sociedade e que teve vários apresentadores, como Ney Gonçalves Dias, João Leite Neto, Milton Neves, Lino Rossi, José Luís Datena, Marcelo Rezende e até o ex-juiz de futebol Oscar Roberto Godói. Curiosamente, na fase inicial cobria apenas a capital paulista, mas era transmitido em rede nacional.

A programação educativa foi representada por “O Agente G” (com Gérson de Abreu) e “Vila Esperança“, com o elenco do “Castelo Rá-Tim-Bum” da TV Cultura.

Na área infantil, foram exibidos grandes clássicos de produção estrangeira, como “Dexter’s Laboratory“, “O Gato Félix“, séries Japonesas como “Jaspion“, “Ultraman” e o anime “Pokémon“, que deixou de ser exibido pela emissora a partir da 4ª temporada — após um período de exibição muito pouco dos episódios — sem nem ter sido exibido o fim da temporada, que prejudicou os telespectadores que continuaram assistindo o anime na TV Globo. Mas conseguia bons índices de audiência e faturamento para o canal.

Década de 2000

2000

Em 2000, a Rede Record também fez parceria com a BBC para transmitir o evento 2000 Today em um pool de emissoras do mundo. Neste mesmo ano de 2000, a emissora lançou os dominicais “Domingo da Gente” com Netinho de Paula na apresentação, e o programa “Domingo Show” apresentado por Gilberto Barros, houve também a contratação da apresentadora Adriane Galisteu para o programa “É Show“.

2001

No final de 2001 estréia no canal o polêmico apresentador Milton Neves, egresso da TV Bandeirantes, para apresentar programas futebolísticos ao estilo Mesa redonda.

2002

Em 2002, o apresentador José Luiz Datena sai da Record do comando do “Cidade Alerta“, para ir apresentar o “Repórter Cidadão” na RedeTV!. Em apenas um mês, ele retorna a Record.

2003

Em 2003 a rede se tornou a emissora com maior tempo de existência no Brasil. Iniciou suas transmissões no dia 27 de Setembro de 1953, as exatos 20h53min. Neste ano a emissora investe na teledramaturgia em co-produção com a produtora Casablanca, lançando a série “Turma do Gueto” nas noites de terça-feira, e contava com um elenco praticamente composto por negros. Mas a aposta da emissora foi na novela “Metamorphoses” que contava com um grande elenco e produção e teve sua estréia num domingo. Mas foi um fiasco, a novela era confusa e foi rejeitada pelo público. Chegou a marcar zero ponto no horário nobre, e foi considerada um dos maiores fracassos da história da teledramaturgia brasileira.

2004

A emissora manteve a linha popular até Março de 2004, quando decidiu investir em uma grade voltada à qualidade e à ampliação dos índices de audiência, com a saída do programa policial “Cidade Alerta“, que quando saiu do ar, tinha apenas 30 minutos, sendo exibido das 18h45min às 19h15min.

Em Março de 2004, com o slogan “A Caminho da Liderança“, a TV Record decide mudar de rumo e de grade de programação.

Apostando numa fórmula consagrada pela TV Globo, a da dobradinha telenovela/telejornal, a Rede Record inicia uma nova fase a partir de março de 2004. Vinhetas sofisticadas, jornalistas da concorrente e telenovelas de muito sucesso populam a TV Record.

2005

Dentre os sucessos dessa nova fase, destacam-se as novelas “A Escrava Isaura” e “Prova de Amor“, esta última chegou a vencer o “Jornal Nacional” durante alguns minutos, durante as férias de Willian Bonner e Fátima Bernardes. “Essas Mulheres“, “Cidadão Brasileiro“, “Bicho do Mato” e “Vidas Opostas“, com elenco e produção inspirados na TV Globo; os programas jornalísticos “Jornal da Record“, “Domingo Espetacular“, “Fala Brasil“, “Tudo a Ver” e “Repórter Record“; os esportivos “Esporte Record“, “Debate Bola” e o semanal “Terceiro Tempo“; os programas de variedades “Hoje em Dia“, “Tudo é Possível” e “Show do Tom“; e os reality-showsO Aprendiz” — feito em co-produção com a Casablanca e com a FremantleMedia — “Troca de Família” — feito em co-produção com a FOX — e Simple Life: Mudando de Vida“.

2006

Em julho de 2006 a emissora TV Pajuçara, de Alagoas, até então afiliada do SBT, troca de rede e torna-se afiliada da TV Record. A partir de então, outras emissoras afiliadas ou retransmissoras do SBT também começam a deixar a emissora para se afiliarem à TV Record, como a TV A Crítica do Amazonas e a TV Atalaia de Sergipe.

2007

Torre da TV Record Porto Alegre, antiga TV2 Guaiba. Comprada pela Rede Record em Fevereiro de 2007.

Torre da TV Record Porto Alegre, antiga TV2 Guaíba. Comprada pela Rede Record em Fevereiro de 2007.

Em Fevereiro de 2007, segundo as medições de audiência do IBOPE, a TV Record assume a vice-liderança em São Paulo [1] ao passar o SBT na média do mês. Segundo o vice-presidente comercial da emissora, Walter Zagari, a meta é chegar à primeira colocação em 2009 [2]. Também em Fevereiro, foi anunciado para o segundo semestre de 2007 o lançamento do canal de notícias Record News.

Em março de 2007, a emissora anuncia [3][4] a aquisição dos direitos de transmissão dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2010 — em Vancouver — e dos Jogos Olímpicos de Verão de 2012 — em Londres.

No dia 11 de julho, foi inaugurada a TV Itapoan, em Salvador.

Em 1º de Julho, entrou no ar a TV Record Porto Alegre, substituindo a TV Guaíba, canal 2 de Porto Alegre, RS.

Em agosto a emissora anunciou a vice-liderança nacional. A sua média diária (de 7h00min as 0h00min) foi de 7 pontos contra 6 pontos do SBT. Porém o SBT ainda permanecia na vice-liderança nas 24 horas.

Em setembro, mês em que comemorou cinquenta e quatro anos de existência, a Record lançou o seu canal de notícias 24 horas na TV Aberta, a Record News, inaugurada às 20h no dia 27 desse mês, mesmo dia e horário da inauguração da TV Record em 1953. No mesmo mês foi lançado o media center da Record (“Mundo Record“) e da Record News (“Mundo Record News“)

Em dezembro, a TV Record assumiu a vice-liderança nacional também nas 24 horas. No mesmo mês, a TV Jovem Palmas, do Tocantins, passa a integrar a rede.

2008

Galeria Tillmann, onde está localizada a sede da TV Pampa Sul.

Galeria Tillmann, onde está localizada a sede da TV Pampa Sul.

No dia 7 de janeiro foi inaugurado mais um newsroom (“estúdio-redação”) da emissora. A partir dessa data, a Record Belém, passou a se chamar TV Record Norte. Ainda em janeiro, a Record lançou um novo jornalístico, exibido nas sextas, o Câmera Record.

A partir de 1º de fevereiro, a Record aumentou seu número de emissoras, com a entrada da RIC TV em Santa Catarina, totalizando 6 emissoras no estado. A Record Florianópolis, a partir dessa data, se tornou filiada da Record News no estado.

No dia 18 de fevereiro a TV Record Brasília inaugurou o seu newsroom (“estúdio-redação”), passando a ser chamada também de Record Centro-Oeste, pois cobrirá um telejornal diário pela Record News.

No dia 21 de fevereiro, a TV Vitória, afiliada da Record em Vitória, no Espírito Santo, também inaugurou o seu newsroom. Foi a terceira emissora afiliada da TV Record a ter um newsroom — a primeira foi a TV Cidade, do Ceará, e a segunda foi a TV A Crítica, do Amazonas — e no dia 7 de abril, foi a vez da RIC TV, afiliada da Record no Paraná e em Santa Catarina, inaugurar o seu newsroom em Curitiba.

No esporte, emissora também adquire com exclusividade os direitos de transmissão da Eurocopa.

Ao mesmo tempo, a rede consegue adiquirir os direitos para exibir “Ídolos“, em parceria com a FremantleMedia, após cobrir a oferta feita pelo SBT. Na TV Record, o programa será apresentado pelo ator Rodrigo Faro.

No Rio Grande do Sul, a TV Pampa Centro, a TV Pampa Norte e a TV Pampa Sul, que pertencem a Rede Pampa de Comunicação, passaram a adotar o nome TV Record, retransmitindo para suas regiões de cobertura, programas gerados pela TV Record Porto Alegre. As emissoras passaram a se chamar, respectivamente, TV Record Santa Maria, TV Record Carazinho e TV Record Pelotas. [5]

Depois de uma série de divergências entre os diretores da Rede Pampa e os executivos do Grupo Record, causada pelo uso de retransmissoras sem autorização e por irregularidades nas cláusulas do contrato que mudavam os nomes, as emissoras voltaram a utilizar a nomenclatura Pampa. A Rede Record assinou no dia 13 de junho com a Rede Pampa a rescisão de contrato. A partir de 14 de julho, a TV de Otávio Dumit Gadret não transmitirá mais o sinal da Record, em seu lugar como retransmissora da Rede Record, entra a afiliada da Record News no estado, a TV Nativa.

No dia 29 de Junho, ocorre um fato histórico na emissora, ficar duas horas consecutivas [6] na liderança do IBOPE durante a final da Eurocopa 2008 e o início do Show do Tom.

No dia 1º de Agosto, a TV Leste, que era afiliada da Rede Globo em Governador Valadares, no leste de Minas Gerais, passou a retransmitir o sinal da Rede Record, no entanto, a TV dos Vales, que era afiliada da Record em Coronel Fabriciano, também no leste mineiro, passou a retransmitir o sinal da Globo


TV CULTURA/TV BRASIL

setembro 13, 2008

TV Cultura

TV Cultura
Fundação Padre Anchieta
Centro Paulista de Rádio e TV Educativas

Vista da sede da TV Cultura em Sâo Paulo.
Gênero/Tipo Emissora de Televisão Pública
País Brasil Brasil
Fundação 15 de junho de 1969 (39 anos)
Extinção {{{extinção}}}
Fundador Diários Associados
Pertence a Fundação Padre Anchieta
Proprietário  
Presidente Paulo Markun
Cidade de origem São Paulo, SP
Sede São Paulo, SP
Estúdios São Paulo, SP
Rua Cenno Sbrighi, 378, Lapa de Baixo
Slogan A TV que faz bem BR
Canal 2 VHF (São Paulo, SP)
24 digital (São Paulo, SP)
114 (SKY Brasil)
Satélite {{{satelite}}}
Formato de vídeo {{{formato de vídeo}}}
Principais telespectadores {{{faixa_etaria}}}
Afiliações {{{afiliações}}}
Prefixo ZYB 851
Cobertura Via satélite para todo o Brasil.
Significado da sigla {{{significado letras}}}
Emissoras próprias  
Emissoras afiliadas TVE Paraná (PR)
TV Cultura SC (SC)
TVE RS (RS)
Entre outras
Cobertura internacional  
Nomes anteriores  
Nomes posteriores {{{nomes posteriores}}}
Página oficial www.tvcultura.com.br

A TV Cultura é uma emissora de televisão brasileira com sede em São Paulo, capital do estado homônimo. Emissora pública de caráter educativo e cultural, foi fundada em 15 de junho de 1969 na capital paulista, gerando programas de televisão educativos que são transmitidos para todo o Brasil via satélite e através de suas afiliadas em diversas regiões do Brasil.

É mantida pela Fundação Padre Anchieta, uma fundação sem fins lucrativos que recebe recursos públicos, através do governo do estado de São Paulo, e privados, através de propagandas, apoios culturais e doações de grandes corporações.

A Cultura procura expressar seu caráter público de programação, declarando sua independência em relação ao Estado ou a qualquer grupo privado[carece de fontes?] (existem controvérsias e questionamentos eventuais sobre o real cumprimento destes papéis[carece de fontes?]).

[editar] História

A TV Cultura, canal 2 de São Paulo, foi inaugurada em 1960, então como uma das emissoras dos Diários Associados, que também controlavam a TV Tupi, apresentando uma programação semelhante à da Tupi, com novelas e programas de auditório, mas com audiência bem menor que a da emissora principal.

Em 1968 o canal foi doado à Fundação Padre Anchieta, que reinaugurou a emissora em 1969, por Rafael Noschese e Cláudio Petraglia. Após quatro meses de transmissões experimentais que iniciaram no dia 4 de Abril, foi inaugurada a TV Cultura às 19h30 do dia 15 de Junho, com a apresentação dos discursos do então governador, indicado pela ditadura militar, Roberto Costa de Abreu Sodré e do presidente da Fundação Padre Anchieta, José Bonifácio Coutinho Nogueira. Em seguida, foi exibido um clipe mostrando o surgimento da emissora, os planos para o futuro e uma descrição dos programas que passariam a ser apresentados a partir do dia seguinte.

Presidente Lula, durante gravação de entrevista para o programa Roda Viva da TV Cultura, no Palácio do Planalto.

Presidente Lula, durante gravação de entrevista para o programa Roda Viva da TV Cultura, no Palácio do Planalto.

O primeiro programa exibido foi o documentário Planeta Terra no dia 16 de junho, às 19h30, que trazia como tema terremotos, vulcões e fenômenos que ocorrem nas profundezas do planeta. Em seguida, às 19h55, foi levado ao ar um boletim meteorológico chamado A moça do tempo, apresentado por Albina Mosqueiro. Às 20h iniciava uma série chamada de Curso de Madureza Ginasial, sendo um dos seus maiores desafios o de provar que uma aula transmitida por televisão poderia ser, ao mesmo tempo, eficiente e agradável.

A TV Cultura fazia parte, desde 1969, ano de sua inauguração, da Rede de Emissoras Independentes (REI), do qual também faziam parte a TV Bandeirantes, a TV Gazeta e a TV Record. Em 1990, a TV Cultura começou a transmitir em rede.

A Rede Pública de Televisão, formada pela união da TVE Brasil (RJ) com a TV Cultura (SP), foi extinta no dia 2 de Dezembro de 2007, data da inauguração da TV Brasil, a TV pública do Governo Federal Brasileiro. Com isso, São Paulo e outros estados brasileiros passaram a transmitir apenas o sinal da TV Cultura.

Programação infantil

Para o público infanto-juvenil, a TV Cultura e a TV Globo uniram-se ao Sesame Workshop para produzir uma versão brasileira do norte-americano Sesame Street, chamada Vila Sésamo (1972 a 1977). Logo, a TV Cultura passou a ser especialista em programas infantis educativos, como Bambalalão, que foi laureado em vários anos com o prêmio APCA de Melhor Infantil, Rá-Tim-Bum, que também recebeu o prêmio da APCA além da medalha de ouro no Festival de Nova York, Castelo Rá-Tim-Bum, programa infantil de maior sucesso da TV Cultura, que rendeu shows de suas personagens, revistas, jogos e um longa-metragem: Castelo Rá-Tim-Bum, o Filme; Catavento, que ganhou o prêmio Japão NHK e Cocoricó, programa infantil que usa bonecos como personagens e que também foi um dos maiores sucessos da emissora.

 Esportes

Em 1974, a TV Cultura ja estava cobrindo a sua primeira Copa do Mundo. Em 2005 a emissora paulista volta a transmitir competições esportivas. A Copa das Confederações, a Copa Cultura de Juniores e a Copa São Paulo de Futebol Júnior. Aos sábados, eram exibidos jogos de voleibol. Em 2006 a emissora paulistana faz o anuncio das transmissões do campeonato português de futebol.

 Copa do mundo de futebol

As copas do mundo de 1974 e 1978 foram a primeira e a segunda Copa do Mundo que a TV Cultura exibiu. Os ícones da narração eram Luiz Noriega e Walter Abrahão.

Na copa de 1982, a TV Cultura, exibe os jogos em parceria com a Rede Globo. Os narradores eram próprios da emissora carioca. Eram Luciano do Valle (partida de abertura, partidas da seleção brasileira, e a final) e Galvão Bueno (partidas dos outros paises).

 Programas esportivos e mesas-redondas

Dos programas esportivos, a TV Cultura exibe o Cartão Verde e o Grandes Momentos do Esporte. Também passaram na emissora diversas personalidades da narração esportiva e comentaristas como Juca Kfouri, José Trajano, Jorge Kajuru, Flávio Prado, Nivaldo Prieto, entre outros.

 Incêndio

No dia 28 de fevereiro de 1986, um incêndio atingiu a sede da TV Cultura, na cidade de São Paulo. O fogo destruiu 90% dos equipamentos da emissora, fazendo com que ela ficasse 3 horas fora do ar.


RECORDNEWS

setembro 13, 2008

RecordNews

Record News
Rede Mulher de Televisão Ltda.
Gênero/Tipo Rede de Televisão Comercial
País Brasil Brasil
Fundação 27 de Setembro de 2007 (0 anos)
Extinção {{{extinção}}}
Fundador  
Pertence a Central Record de Comunicação
Proprietário Edir Macedo Bezerra
Presidente Alexandre Raposo
Cidade de origem {{{cidade de origem}}}
Sede {{{sede}}}
Estúdios {{{estúdios}}}
Slogan Jornalismo 24 horas de plantão
Canal {{{canal}}}
Satélite {{{satelite}}}
Formato de vídeo {{{formato de vídeo}}}
Principais telespectadores {{{faixa_etaria}}}
Afiliações {{{afiliações}}}
Prefixo {{{prefixo}}}
Cobertura  
Significado da sigla {{{significado letras}}}
Emissoras próprias {{{emissoras próprias}}}
Emissoras afiliadas TV Cabrália
Record News MT
Retransmissoras da Record News
Cobertura internacional  
Nomes anteriores TV Morada do Sol
Rede Mulher
Nomes posteriores {{{nomes posteriores}}}
Página oficial www.recordnewstv.com.br

A Record News é uma rede de televisão aberta brasileira, lançada às 20h, no horário de Brasília, do dia 27 de setembro de 2007[1], dedicada exclusivamente ao telejornalismo. A data de estréia marca os 54 anos da Rede Record (a Rede Record foi fundada em 27 de setembro de 1953, às 20h), que investiu US$ 7 milhões para equipar o canal, que tem 150 jornalistas exclusivos e 100 profissionais de outras áreas, além de uma redação de 1.000 m2, dividida em uma newsroom com 60 posições e um estúdio para gravações[2].

História

Teatro Record em São Paulo

Teatro Record em São Paulo

Os planos para o lançamento do canal já haviam sido traçados entre o final de 2006 e o início de 2007, pela alta cúpula da Rede Record, com o objetivo de fortalecer o telejornalismo, realizar novas experiências na área e buscar novos talentos para a “emissora-mãe”. Devido a alta penetração da Rede Mulher em centenas de municípios brasileiros via UHF, foi definido que a tradicional emissora daria lugar a nova, assim que esta fosse lançada.

No início de fevereiro, executivos da Rede Record viajaram para Atlanta, nos Estados Unidos, para conhecer a estrutura da famosa rede de notícias CNN, que fica sediada na cidade, e transmite sua programação em escala global. Integraram a comitiva o vice-presidente Marcos Pereira, o diretor de operações e engenharia Reinaldo Gilli, o gerente de informática Anderson Moura, o diretor nacional de jornalismo Douglas Tavolaro, o chefe de redação Clóvis Rabelo e o diretor técnico e de projetos Luiz Seixas.

A Rede Record montou grandes estruturas em todo o país, e adotou uma cartilha do telejornalismo regional, submetendo suas afiliadas a novas regras. O processo, atualmente, ainda se encontra em transição, pois algumas afiliadas relutam em aceitar as novas normas.

Em entrevista ao site Portal Imprensa, Alexandre Raposo, presidente da Record, declarou que o novo canal será um meio de tirar maior proveito dos produtos jornalísticos da emissora, irá fortalecer a marca “Record”, tornando-a ainda mais conhecida, e aumentando as suas possibilidades de crescimento, e atingirá um público qualificado, resultando em um bom faturamento, já que a emissora principal tem 35% de sua receita gerada a partir do telejornalismo.[3]

Os primeiros movimentos do novo canal foi a exibição de uma contagem regressiva para o início das transmissões com seu logotipo. Logo após, começou uma espécie de show de abertura, com a presença do presidente Lula, do governador do estado de São Paulo, José Serra, do prefeito da cidade de São Paulo Gilberto Kassab, do presidente da Record, Alexandre Raposo, e Edir Macedo, proprietário, com protocolo executado por Celso Freitas, e no fim, Fafá de Belém cantou o hino nacional brasileiro.

Programação

 Sobre a grade de programação

A Record News tem 19 horas diárias de programação ao vivo (das 6h à 1h, eventualmente até as 03h)[4], e o restante da grade é ocupado por reprises, inclusive de jornais da Rede Record.

A principal atração da Record News é um telejornal com as principais notícias do Brasil e do mundo. O Record News Brasil é apresentado pelo jornalista Eduardo Ribeiro e vai ao ar a partir das 21h. É o primeiro programa transmitido pelo novo canal, que teve, na estréia, a participação especial do presidente Lula e de outras principais personalidades políticas e empresariais brasileiras. [5]

A maior parte da programação é gerada em uma redação de 1.000m² em São Paulo, na sede da Rede Record. Os telejornais regionais são produzidos em Salvador, no Rio de Janeiro, Porto Alegre e em Araraquara, e ainda programas diários gerado em Brasília e Miami. Além de um programa semanal feminino direto de Londres.

Programas da Record News

Distribuição

A Record News ocupou o sinal da Rede Mulher[6], emissora pertencente à Record que foi extinta. Assim, a Record News já estreiou com uma rede de 101 emissoras abertas afiliadas[7]. No entanto, a emissora deixou a desejar em algumas cidades, pois, a qualidade do sinal de transmissão não era suficiente para atingir a todos os municípios em que a Record News afirmava a transmissão em TV Aberta do primeiro canal aberto de Jornalismo.

Cidades como Aracaju e Maceió que possuiam retransmissoras oficiais da Rede Mulher, e que portanto tinham a concessão de transmissão em TV Aberta, não veicularam, e ainda não veiculam, o sinal da Record News, pois o sinal irradiado não é suficiente para a transmissão, deixando no canal que deveria passar o canal de notícias apenas chuviscos, a partir da metade do mês de fevereiro começou a funcionar.

Para resolver esse problema a Record News anunciou investimentos na área de transmissão de imagens com o intuito de atingir a população prometida, no entanto, tal situação são até o momento mera promessas, posto que o canal não conseguiu visibilidade nacional, tendo em vista os problemas acima mencionados, além de ter seu sinal carregado apenas pela NET digital.

A estratégia de utilizar o sinal da Rede Mulher também seria uma maneira de garantir a presença do canal na NET, maior operadora de TV paga do país, pertencente às Organizações Globo. Como a Net já “carrega” a Rede Mulher, a Record News não precisaria enfrentar o “monopólio” imposto pela Globo, que vetaria um concorrente da Globo News na grade da NET.

Entretanto, a coluna Outro Canal da Folha de S.Paulo publicou, em 13 de agosto de 2007, uma nota dizendo que “a Net não é obrigada a distribuir a Rede Mulher em cidades como São Paulo e Rio, onde a emissora tem apenas retransmissoras” e, como o “contrato é para distribuir a programação da Rede Mulher”, um novo conteúdo exigiria nova negociação com a NET (que vetaria o canal, mantendo a Globo News como único canal de notícias em português disponível a seus assinantes). E também quem assiste a Rede Mulher na parabólica analógica poderá acompanhar a partir do dia 27 de setembro a programação da Record News.

Atualmente a Record News, lançada sob intensa propaganda, tem tido problemas de audiência, que gira em torno de 0,2 a 0,4 pontos no IBOPE. Se por um lado por alguns momentos ganha da RedeTV!, por outro perde no número de TVs sintonizadas para a Globo News, mesmo esta sendo um canal de TV por Assinatura.[8].

Por esse motivo a Record está investindo em novos transmissores, com potência consideravelmente maior, inclusive para a cidade de São Paulo.

 Polêmica

Segundo o blog Josias de Souza, do dia 27 de setembro, o vice-presidente de relações institucionais das Organizações Globo, Evandro Guimarães, esteve em Brasília. Ele queixou das autoridades do governo de que, ao levar ao ar o seu canal de notícias 24 horas, em rede de aberta, a Record passaria a operar dois canais televisão numa mesma cidade, São Paulo.[9] O que seria vetado por lei.

Guimarães supostamente teria se encontrado com o ministro das Comunicações, Hélio Costa, a quem cabe zelar pelo sistema de concessões televisivas. Informou-se ao ministro que, além da Globo, também a Rede Bandeirantes compartilhava da reclamação contra a Record.

No entanto, o próprio ministro respondeu que está isento desse assunto e que é imparcial, pois não há irregularidade no caso.

Segundo o que escutou pela imprensa, seria uma suposta reação da Rede Globo de que um canal só de notícias poderá até incomodar em alguns horários, provavelmente em horário de baixa audiência.[10][11]

Aproveitando-se desse boato, a Rede Record veiculou nos dias e 2 de outubro, um editorial de protesto contra Globo e Rede Bandeirantes, mas foi a Globo que foi duramente criticada.[12][13]

Nas declarações oficiais da Record o tema recorrente era um “monopólio” da Globo sobre a TV brasileira. As aspas são porque o Brasil há pelo menos 30 anos já operava com 3 grandes cadeias de alcance nacional, prevalecendo a Globo pelo seu “Padrão de Qualidade”, que agora é seguido pela Record na tentativa bem sucedida de ganhar audiência e incomodar a concorrência