Fórum de TV digital tem novo presidente

novembro 24, 2008

 

O vice-presidente do Grupo Bandeirantes, Frederico Nogueira, é o novo presidente do Fórum de TV digital. Roberto Barbieri foi eleito para ocupar a vice-presidência.

O cargo de Nogueira era ocupado por Roberto Franco, há dois anos, que o indicou na eleição em que venceu por unanimidade. O executivo continuará suas atividades na Bandeirante paralelamente ao trabalho no Fórum.

Barbieri, que assume como vice-presidente, também atua na Telavo Telecomunicações.

Segundo o IDGNow!, Nogueira está no conselho do Fórum desde que ele foi criado e, como novo presidente, seu objetivo é manter o trabalho que já está sendo feito para a TV Digital brasileira.

Franco continua a atuar no conselho do Fórum, que foi recomposto e tem um total de 13 participantes das indústrias de transmissão, recepção, software e radiodifusão. Além disso, o conselho possui 7 representantes do governo.

Com informações do IDGNow!

Redação Adnews


Top Five da Record News

novembro 7, 2008

Pagina 1 – 1,5
Direto da Redação – 1,4
Hora News – 1.2
Entrevista Record – 1,2
Record News Brasil – 1,1


Página 1 marca sua melhor audiência

outubro 15, 2008


O telejornal matutino da Record News “Página 1” surpreendeu a alta cúpula da emissora nesta segunda-feira (13/10).

A emissora ficou 44 minutos em 4ª lugar no racking de audiência. Em alguns momentos a emissora ficou com o triplo da Band e Rede Tv!.


Parâmetro Nacional deste Mês mostra a Record na vice, mas o SBT está na cola, confira:

outubro 12, 2008

Confiram a média das 5 maiores emissoras de TV do Brasil até 23/09, das 24hrs. A Rede Globo continua firme e forte na liderança absoluta de audiência. Já a Rede Record e o SBT continuam brigando pela vice-liderança, que até o presente momento é da Record. Band e Rede TV ficam bem atrás, com suas baixas audiências.
https://i2.wp.com/files.audiencias.webnode.com/200000027-3554137476/Audi%C3%AAncia%20em%20todo%20o%20Brasil.PNG
Detalhe se o SBT aumentar sua audiência em 0,2 ou 0,3 pontos na média
manterá a Vice no mês empatando com Rede Record.



RECORDNEWS

setembro 13, 2008

RecordNews

Record News
Rede Mulher de Televisão Ltda.
Gênero/Tipo Rede de Televisão Comercial
País Brasil Brasil
Fundação 27 de Setembro de 2007 (0 anos)
Extinção {{{extinção}}}
Fundador  
Pertence a Central Record de Comunicação
Proprietário Edir Macedo Bezerra
Presidente Alexandre Raposo
Cidade de origem {{{cidade de origem}}}
Sede {{{sede}}}
Estúdios {{{estúdios}}}
Slogan Jornalismo 24 horas de plantão
Canal {{{canal}}}
Satélite {{{satelite}}}
Formato de vídeo {{{formato de vídeo}}}
Principais telespectadores {{{faixa_etaria}}}
Afiliações {{{afiliações}}}
Prefixo {{{prefixo}}}
Cobertura  
Significado da sigla {{{significado letras}}}
Emissoras próprias {{{emissoras próprias}}}
Emissoras afiliadas TV Cabrália
Record News MT
Retransmissoras da Record News
Cobertura internacional  
Nomes anteriores TV Morada do Sol
Rede Mulher
Nomes posteriores {{{nomes posteriores}}}
Página oficial www.recordnewstv.com.br

A Record News é uma rede de televisão aberta brasileira, lançada às 20h, no horário de Brasília, do dia 27 de setembro de 2007[1], dedicada exclusivamente ao telejornalismo. A data de estréia marca os 54 anos da Rede Record (a Rede Record foi fundada em 27 de setembro de 1953, às 20h), que investiu US$ 7 milhões para equipar o canal, que tem 150 jornalistas exclusivos e 100 profissionais de outras áreas, além de uma redação de 1.000 m2, dividida em uma newsroom com 60 posições e um estúdio para gravações[2].

História

Teatro Record em São Paulo

Teatro Record em São Paulo

Os planos para o lançamento do canal já haviam sido traçados entre o final de 2006 e o início de 2007, pela alta cúpula da Rede Record, com o objetivo de fortalecer o telejornalismo, realizar novas experiências na área e buscar novos talentos para a “emissora-mãe”. Devido a alta penetração da Rede Mulher em centenas de municípios brasileiros via UHF, foi definido que a tradicional emissora daria lugar a nova, assim que esta fosse lançada.

No início de fevereiro, executivos da Rede Record viajaram para Atlanta, nos Estados Unidos, para conhecer a estrutura da famosa rede de notícias CNN, que fica sediada na cidade, e transmite sua programação em escala global. Integraram a comitiva o vice-presidente Marcos Pereira, o diretor de operações e engenharia Reinaldo Gilli, o gerente de informática Anderson Moura, o diretor nacional de jornalismo Douglas Tavolaro, o chefe de redação Clóvis Rabelo e o diretor técnico e de projetos Luiz Seixas.

A Rede Record montou grandes estruturas em todo o país, e adotou uma cartilha do telejornalismo regional, submetendo suas afiliadas a novas regras. O processo, atualmente, ainda se encontra em transição, pois algumas afiliadas relutam em aceitar as novas normas.

Em entrevista ao site Portal Imprensa, Alexandre Raposo, presidente da Record, declarou que o novo canal será um meio de tirar maior proveito dos produtos jornalísticos da emissora, irá fortalecer a marca “Record”, tornando-a ainda mais conhecida, e aumentando as suas possibilidades de crescimento, e atingirá um público qualificado, resultando em um bom faturamento, já que a emissora principal tem 35% de sua receita gerada a partir do telejornalismo.[3]

Os primeiros movimentos do novo canal foi a exibição de uma contagem regressiva para o início das transmissões com seu logotipo. Logo após, começou uma espécie de show de abertura, com a presença do presidente Lula, do governador do estado de São Paulo, José Serra, do prefeito da cidade de São Paulo Gilberto Kassab, do presidente da Record, Alexandre Raposo, e Edir Macedo, proprietário, com protocolo executado por Celso Freitas, e no fim, Fafá de Belém cantou o hino nacional brasileiro.

Programação

 Sobre a grade de programação

A Record News tem 19 horas diárias de programação ao vivo (das 6h à 1h, eventualmente até as 03h)[4], e o restante da grade é ocupado por reprises, inclusive de jornais da Rede Record.

A principal atração da Record News é um telejornal com as principais notícias do Brasil e do mundo. O Record News Brasil é apresentado pelo jornalista Eduardo Ribeiro e vai ao ar a partir das 21h. É o primeiro programa transmitido pelo novo canal, que teve, na estréia, a participação especial do presidente Lula e de outras principais personalidades políticas e empresariais brasileiras. [5]

A maior parte da programação é gerada em uma redação de 1.000m² em São Paulo, na sede da Rede Record. Os telejornais regionais são produzidos em Salvador, no Rio de Janeiro, Porto Alegre e em Araraquara, e ainda programas diários gerado em Brasília e Miami. Além de um programa semanal feminino direto de Londres.

Programas da Record News

Distribuição

A Record News ocupou o sinal da Rede Mulher[6], emissora pertencente à Record que foi extinta. Assim, a Record News já estreiou com uma rede de 101 emissoras abertas afiliadas[7]. No entanto, a emissora deixou a desejar em algumas cidades, pois, a qualidade do sinal de transmissão não era suficiente para atingir a todos os municípios em que a Record News afirmava a transmissão em TV Aberta do primeiro canal aberto de Jornalismo.

Cidades como Aracaju e Maceió que possuiam retransmissoras oficiais da Rede Mulher, e que portanto tinham a concessão de transmissão em TV Aberta, não veicularam, e ainda não veiculam, o sinal da Record News, pois o sinal irradiado não é suficiente para a transmissão, deixando no canal que deveria passar o canal de notícias apenas chuviscos, a partir da metade do mês de fevereiro começou a funcionar.

Para resolver esse problema a Record News anunciou investimentos na área de transmissão de imagens com o intuito de atingir a população prometida, no entanto, tal situação são até o momento mera promessas, posto que o canal não conseguiu visibilidade nacional, tendo em vista os problemas acima mencionados, além de ter seu sinal carregado apenas pela NET digital.

A estratégia de utilizar o sinal da Rede Mulher também seria uma maneira de garantir a presença do canal na NET, maior operadora de TV paga do país, pertencente às Organizações Globo. Como a Net já “carrega” a Rede Mulher, a Record News não precisaria enfrentar o “monopólio” imposto pela Globo, que vetaria um concorrente da Globo News na grade da NET.

Entretanto, a coluna Outro Canal da Folha de S.Paulo publicou, em 13 de agosto de 2007, uma nota dizendo que “a Net não é obrigada a distribuir a Rede Mulher em cidades como São Paulo e Rio, onde a emissora tem apenas retransmissoras” e, como o “contrato é para distribuir a programação da Rede Mulher”, um novo conteúdo exigiria nova negociação com a NET (que vetaria o canal, mantendo a Globo News como único canal de notícias em português disponível a seus assinantes). E também quem assiste a Rede Mulher na parabólica analógica poderá acompanhar a partir do dia 27 de setembro a programação da Record News.

Atualmente a Record News, lançada sob intensa propaganda, tem tido problemas de audiência, que gira em torno de 0,2 a 0,4 pontos no IBOPE. Se por um lado por alguns momentos ganha da RedeTV!, por outro perde no número de TVs sintonizadas para a Globo News, mesmo esta sendo um canal de TV por Assinatura.[8].

Por esse motivo a Record está investindo em novos transmissores, com potência consideravelmente maior, inclusive para a cidade de São Paulo.

 Polêmica

Segundo o blog Josias de Souza, do dia 27 de setembro, o vice-presidente de relações institucionais das Organizações Globo, Evandro Guimarães, esteve em Brasília. Ele queixou das autoridades do governo de que, ao levar ao ar o seu canal de notícias 24 horas, em rede de aberta, a Record passaria a operar dois canais televisão numa mesma cidade, São Paulo.[9] O que seria vetado por lei.

Guimarães supostamente teria se encontrado com o ministro das Comunicações, Hélio Costa, a quem cabe zelar pelo sistema de concessões televisivas. Informou-se ao ministro que, além da Globo, também a Rede Bandeirantes compartilhava da reclamação contra a Record.

No entanto, o próprio ministro respondeu que está isento desse assunto e que é imparcial, pois não há irregularidade no caso.

Segundo o que escutou pela imprensa, seria uma suposta reação da Rede Globo de que um canal só de notícias poderá até incomodar em alguns horários, provavelmente em horário de baixa audiência.[10][11]

Aproveitando-se desse boato, a Rede Record veiculou nos dias e 2 de outubro, um editorial de protesto contra Globo e Rede Bandeirantes, mas foi a Globo que foi duramente criticada.[12][13]

Nas declarações oficiais da Record o tema recorrente era um “monopólio” da Globo sobre a TV brasileira. As aspas são porque o Brasil há pelo menos 30 anos já operava com 3 grandes cadeias de alcance nacional, prevalecendo a Globo pelo seu “Padrão de Qualidade”, que agora é seguido pela Record na tentativa bem sucedida de ganhar audiência e incomodar a concorrência